Finanças para MEI: 6 dicas para manter as contas em dia e evitar dívidas

Tempo de leitura: 4 minutos
Pessoa com xícara na mão com finanças

Resumo:
Neste artigo, apresentaremos algumas dicas importantes de finanças para MEI, para que você possa organizar e otimizar sua gestão financeira, manter as contas em dia e evitar dívidas.

Compartilhe

Indicado para:

Ser MEI (Microempreendedor Individual) exige uma série de habilidades para gerenciar de forma eficiente as finanças do negócio. Afinal, a saúde financeira é fundamental para a sobrevivência e o crescimento da empresa. 

No entanto, muitos MEIs acabam enfrentando dificuldades nesse aspecto, seja por falta de conhecimento ou de planejamento adequado.

Neste texto, apresentaremos algumas dicas importantes de finanças para MEI, para que você possa organizar e otimizar sua gestão financeira, manter as contas em dia e evitar dívidas. 

Além disso, você poderá ter uma visão melhor de suas finanças e tomar decisões mais conscientes e eficazes para o sucesso de seus negócios. Vamos lá!

Separe as finanças pessoais das finanças do negócio

A mistura das finanças pessoais com as finanças empresariais é um dos erros mais comuns cometidos pelos microempreendedores individuais. 

Quando as finanças pessoais se misturam com as finanças do negócio, é difícil ter um controle eficiente sobre os recursos disponíveis. Isso pode levar a uma série de problemas, como a falta de recursos para investir no crescimento do negócio, o acúmulo de dívidas, a perda de visão sobre a saúde financeira da empresa, entre outros.

Por isso, é fundamental que o MEI abra uma conta bancária separada para a empresa. Essa conta deve ser utilizada exclusivamente para registrar as movimentações financeiras da empresa, como recebimentos, pagamentos de fornecedores e impostos.

Além disso, é importante utilizar um sistema de controle financeiro para registrar todas as movimentações financeiras da empresa. Isso ajudará o MEI a ter uma visão mais clara da saúde financeira do negócio, identificar problemas e tomar decisões mais conscientes e eficazes para o sucesso da empresa.

Faça um planejamento financeiro

O primeiro passo para fazer um planejamento financeiro eficiente é definir um orçamento mensal. Isso significa listar todas as receitas e despesas da empresa, categorizando cada uma delas de forma adequada. 

O MEI deve incluir todas as fontes de receita, como vendas, serviços prestados, comissões e outros ganhos. Em relação aos custos e despesas, é importante identificar as categorias de gastos mais relevantes, como custo dos produtos ou serviços, despesas com funcionários, aluguel, marketing, entre outros. 

É fundamental que o MEI defina um valor máximo para cada categoria e acompanhe de perto as movimentações financeiras ao longo do mês. Além disso, é importante definir as prioridades de investimento. Isso significa identificar quais são as áreas mais importantes do negócio e direcionar os recursos disponíveis para essas áreas. 

Por fim, é preciso revisar o orçamento mensal com frequência e fazer ajustes sempre que necessário. Isso ajudará o MEI a manter as finanças em ordem e evitar surpresas desagradáveis ao final do mês.

Registre todas as receitas e despesas

Registrar todas as receitas e despesas é um dos passos mais importantes para manter as finanças do MEI em ordem e evitar dívidas. Isso inclui não apenas as vendas e as despesas com aquisição de produtos e serviços, mas também os gastos com manutenção do negócio, como água, luz, telefone, internet, aluguel, entre outros.

Para registrar essas informações, o MEI pode utilizar um software de controle financeiro, como uma planilha ou um sistema de gestão financeira. É importante que esses registros sejam atualizados diariamente, para que o MEI tenha uma visão clara das movimentações financeiras da empresa e possa tomar decisões mais acertadas.

Além disso, é importante categorizar cada receita e despesa adequadamente. Isso permitirá ao MEI identificar quais são as áreas mais lucrativas e onde os gastos estão concentrados, facilitando a tomada de decisões em relação aos investimentos e cortes de gastos.

Também é necessário guardar todos os comprovantes e notas fiscais das transações realizadas. Isso não apenas facilitará a gestão financeira, mas também será importante caso haja a necessidade de comprovar os gastos perante a Receita Federal ou outros órgãos fiscalizadores.

Esteja atento aos prazos de pagamento

O MEI deve ficar atento às datas de vencimento das contas e das obrigações fiscais, a fim de evitar atrasos e possíveis penalidades. O não cumprimento das obrigações do microempreendedor pode acarretar em multas e juros, além de prejudicar a imagem da empresa perante os clientes e fornecedores.

Por isso, é importante que o MEI tenha um calendário com os prazos de pagamento das contas e das obrigações fiscais, e que faça um acompanhamento constante para não deixar nenhuma data passar em branco. 

Também é importante manter a organização dos documentos, para que possa comprovar o cumprimento das obrigações em caso de fiscalização.

No caso dos tributos, o MEI deve estar atento ao prazo de vencimento do boleto DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é o documento utilizado para o pagamento dos impostos. O vencimento ocorre sempre no dia 20 de cada mês e é importante que o pagamento seja feito em dia, para evitar a incidência de multas e juros.

Corte gastos desnecessários

É comum que os MEIs tenham gastos desnecessários, que aparentemente são pequenos, mas podem representar um grande impacto nas finanças da empresa, principalmente em tempos de crise. 

Para reduzir gastos desnecessários, o MEI pode começar fazendo uma análise detalhada das despesas da empresa, separando-as em categorias e verificando quais delas são realmente essenciais para o negócio. 

Em seguida, é importante avaliar alternativas mais econômicas para aquelas despesas que podem ser reduzidas ou eliminadas. Algumas opções de redução de gastos incluem:

  • Utilizar softwares e outras tecnologias para otimizar operações;
  • Negociar com fornecedores para obter descontos ou condições de pagamento mais vantajosas;
  • Considerar o home office ou um espaço de coworking em vez de pagar um escritório particular;
  • Avaliar se é necessário manter uma linha telefônica exclusiva para a empresa ou se pode utilizar o celular pessoal para as ligações profissionais;
  • Fazer a  gestão de estoque e verificar as quantidades ideais de produtos para produção, evitando compras em excesso e desperdício;
  • Eliminar gastos com impressões desnecessárias ou substituir o uso de papel por formatos digitais.

Ao cortar gastos desnecessários, o MEI pode reduzir custos e aumentar a lucratividade da empresa, o que contribui para a saúde financeira do negócio. 

É importante lembrar que essa prática deve ser constante, já que a análise dos gastos deve ser feita periodicamente, para que a empresa possa se adaptar às mudanças do mercado e manter-se competitiva.

Busque mais conhecimento sobre finanças para MEI

Muitos MEIs acabam negligenciando a gestão financeira por não terem formação na área ou por considerarem que não é importante para o sucesso do negócio. No entanto, o conhecimento sobre finanças é fundamental para tomar decisões estratégicas e garantir a saúde financeira da empresa.

Isso pode ser feito de diversas formas, como participar de cursos presenciais ou online, assistir a webinars, ler livros e artigos sobre o assunto, entre outras opções. 

O SEBRAE/PR, por exemplo, oferece diversos cursos e materiais gratuitos sobre finanças para MEI, assim como tantos outros tópicos importantes para microempreendedores.

Se você tem mais dúvidas sobre direitos, deveres, benefícios e outros assuntos relacionados ao microempreendedorismo individual, pode explorar nossa Central do MEI

Talvez você possa gostar:

https://sebraepr.com.br/comunidade/artigo/mei-como-emitir-nota-fiscal-gratis

https://sebraepr.com.br/ebooks/10-mandamentos-para-a-gestao-financeira-na-empresa/

https://sebraepr.com.br/mei-2023-o-que-muda/

https://sebraepr.com.br/comunidade/comunidade-page/vida-de-mei

Este conteúdo foi útil para você?

Compartilhe esse artigo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você possa gostar:

Conheça também

Ou navegue pelos nossos conteúdos gratuítos

Pesquise em nosso site