Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightDia a dia do Empresáriokeyboard_arrow_rightArtigos

Gestão financeira empresarial: como sair do vermelho?

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Limafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Gestão financeira empresarial: como sair do vermelho?
Criado em 06 FEV. 2024
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Devido à falta de um planejamento inicial e de uma gestão financeira empresarial eficiente, muitas empresas ficam no vermelho e, como consequência direta, os índices de inadimplência aumentam cada vez mais. Organizações de todos os portes estão com dívidas: dados da Serasa Experian apontam um maior crescimento em agosto de 2023, que atingiu 6,59 milhões de empreendimentos negativados no Brasil.


Esses números nos mostram que as companhias estão com dificuldades de pagarem pelo o que devem no tempo certo. E, por isso, há a necessidade de avaliar o porquê de a sua empresa também fazer parte do cenário para corrigir o problema e escapar do vermelho como forma de evitar que a situação piore e o número de contratos em aberto cresçam. Entenda mais sobre o assunto a seguir.

Tente entender por que a situação financeira chegou a esse ponto

Procure compreender o motivo pelo qual a empresa ficou no vermelho por meio da análise de relatórios. Realize um diagnóstico completo para avaliar as informações e conseguir resolver a situação antes que piore e se torne muito mais desafiador de solucionar.


Para isso, é necessário entender o que é gestão financeira empresarial e que ela é essencial para a sobrevivência da sua empresa. Além disso, é importante saber como você pode usá-la a seu favor para reduzir os gastos e eliminar as dívidas. Converse com o seu time para explicar quais mudanças serão feitas e o que eles devem fazer a partir dos próximos dias para garantir que a companhia volte a crescer.

Defina quanto precisa para pagar as dívidas e ter tranquilidade financeira

Para entender como sair do vermelho, defina o quanto deve pagar para ter tranquilidade. Nesse caso, reúna todos os documentos fiscais e impostos para saber o que é pago por mês. Verifique também se a empresa teve gastos supérfluos para impedir que se repitam nos próximos meses.


Em uma boa gestão financeira empresarial, você descobre rapidamente quais problemas aconteceram e o motivo. Desse modo, torna-se mais simples procurar soluções eficazes que ajudem a resolver o problema de maneira certeira e rápida.


Não adianta chegar ao banco sem ter uma noção do quanto é necessário para resolver as dívidas ativas na empresa. Por isso, é indispensável atuar com uma gestão financeira empresarial para ter mais segurança, pois, por meio dela, você sabe quais são os gastos mensais, o que está em aberto e o que precisa ser quitado para não ter um aumento significativo de juros.

Avalie como seria possível pagar o empréstimo

Antes de fazer um pedido de empréstimo com o banco, verifique quais são as possibilidades de pagamento e de quais formas você pode quitar o débito. Assim, você tem mais segurança de conversar com o gerente da instituição financeira para explicar exatamente o que precisa e o porquê.


Não compareça ao local sem entender o motivo de estar lá e evite fazer uma solicitação pela ansiedade do momento. Sempre consulte as demandas da empresa e converse com o time do financeiro para, juntos, avaliarem as melhores alternativas disponíveis. Caso contrário, o seu pedido pode ser negado antes mesmo de você explicar o valor que deseja ao profissional.

Negocie as contas, empréstimo e termos de pagamento com o gerente



Faça uma negociação das contas e do empréstimo para verificar quais os principais termos de pagamento junto do gerente. Não deixe de fazer perguntas caso existam dúvidas, pois, quanto mais informações você tiver a respeito do crédito a ser contratado, melhor.

Além disso, recomendamos que você faça a leitura do contrato com calma para entender as exigências do banco e o que consta nas cláusulas. Assim, você tem mais segurança de assinar o documento e de fazer a sua solicitação para quitar as dívidas e sair do vermelho.

Analise a proposta e crie um planejamento de pagamento real

É indispensável analisar atentamente a proposta para criar um planejamento adequado para quitar a dívida. Faça o cálculo dos débitos para ter mais segurança de quitar o que deve, mas lembrando que o empréstimo se tornará também mais uma conta que necessitará de pagamento por um período maior.


Com uma boa gestão financeira empresarial, a organização permanece ativa e consegue se reerguer no decorrer dos meses. Portanto, converse com o gerente, leia atentamente a proposta e se planeje para efetuar o pagamento real de sua dívida sem precisar se preocupar com mais nenhum boleto em aberto.

Defina novos caminhos e metas para o problema não se repetir

Defina caminhos diferentes para a empresa seguir e, preferencialmente, com metas para a sua equipe cumprir. Ao fazer isso, o dinheiro começa a entrar no caixa e a sua empresa sai gradualmente do vermelho desde que os profissionais sigam as novas estratégias.

Uma boa gestão financeira para empresas garante que o seu negócio não tenha ainda mais perdas que possam ser irreparáveis. Recomendamos que você se reúna com seu time para discutir as diferentes opções de sistemas de gestão financeira, além de explicar os motivos das mudanças e os objetivos, os quais precisarão ser seguidos à risca por todos os colaboradores.

Gestão financeira empresarial para NÃO cair no vermelho




Existem estratégias para sair do endividamento e para evitar que a sua empresa tenha problemas graves de falta de renda. O ideal é que você tenha em mente os pilares da gestão de negócios e realize a gestão financeira empresarial constantemente para acompanhar as melhorias e se certificar que a organização está em crescimento.

1. Entenda tudo o que você ganha e deve pagar

Calcule o quanto a empresa ganha por meio da divisão de lucro pela receita total e pela multiplicação do valor obtido por 100. Verifique os impostos que a sua companhia precisa pagar mensalmente e os organize em uma planilha para ter controle sobre o que deve ser pago, quais são os valores e as datas de vencimento.


Muitas empresas precisam contribuir com o COFINS, CSLL ou CPP, além de terem impostos como o IRPJ e ISS. Estes são gastos que variam muito entre as organizações, porém são rápidos de serem calculados e de se obter os valores corretos.

2. Defina as prioridades da empresa e reavalie os custos

Você sabe quais são as prioridades da sua empresa? Verifique se a companhia segue um objetivo e se realmente está dando certo. Caso não esteja como esperado, você precisa reavaliar imediatamente os custos para os reduzir e desenvolver uma nova metodologia que faça o seu negócio crescer e se consolidar no mercado.


Não adianta querer saber como organizar as finanças e sair do vermelho se você desconhece o melhor caminho a seguir. Leia relatórios e também converse com a sua equipe para entender o que foi feito e analisar possibilidades de melhorias para evitar que os gastos continuem acontecendo.

3. Crie uma reserva financeira

Analise quais são as despesas da empresa por mês para ter uma noção melhor do quanto pode ser investido. Se os valores forem superiores a R$ 3 mil, o ideal seria montar uma reserva de até R$ 36 mil e escolher um investimento seguro que faça o dinheiro render todos os meses.

Mensalmente, você deve aplicar uma quantia X para ficar rendendo e a empresa ter uma proteção se qualquer tipo de problema acontecer. Porém o fato de você realizar uma boa gestão financeira empresarial é mais do que suficiente para prever erros ou falhas e os corrigir imediatamente.

4. Corte gastos desnecessários

Na gestão financeira para pequenas empresas, é necessário cortar os gastos que são considerados desnecessários. Atualmente, não é mais obrigatório trabalhar com impressoras e papéis, pois você consegue armazenar as informações diretamente na nuvem e enviá-las aos clientes de maneira rápida pela internet.


Além disso, você também pode organizar o estoque para estar alinhado às novidades do mercado. Assim, você avalia quais são as opções mais procuradas por clientes e evita fazer compras desnecessárias, ou seja, que não têm muita saída na loja.


A rotatividade da equipe deve ser diminuída, pois há muitos gastos em contratar e demitir profissionais. Sabemos que é extremamente demorado e desafiador encontrar bons trabalhadores e, por esse motivo, é fundamental trabalhar com o seu time e mantê-lo alinhado com os objetivos da empresa.


Além disso, realizar treinamentos constantes é fundamental para proporcionar a melhoria em atividades e ter uma boa gestão financeira empresarial. Se ficou com dúvidas de como colocar todo esse plano em prática, entre em contato com o Sebrae!


Um abraço, Bianca Becker.

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Lima
Sou Estrategista Digital, Produtora de conteúdo e Coordenadora da Comunidade Sebrae. Formada em Administração de Empresas, pós graduada em Marketing pela PUC/PR, tenho especializações em Marketing Digital. Apaixonada pelo vídeomarketing, também ensino pessoas a gravarem vídeos e atuarem no Instagram. Trabalho no Sebrae/PR há 10 anos :)favorite_outline Seguir Perfil
capa Dia a dia do Empresário
Dia a dia do Empresário
people 667 participantes
Comunidade digital que reúne conteúdo prático sobre o DIA A DIA DO EMPRESÁRIO de Micro e Pequena Empresa.
fixo
Em alta
4 pequenos negócios rurais lucrativos para 2023
14 dez. 20224 pequenos negócios rurais lucrativos para 2023
Guarulhos se destaca na geração de empregos no Brasil
03 nov. 2023Guarulhos se destaca na geração de empregos no Brasil