Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightVida de MEIkeyboard_arrow_rightArtigos

Vai empreender? Comece por aqui!

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Limafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Vai empreender? Comece por aqui!
Criado em 17 MAI. 2021
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Se você deseja abrir um negócio, mas não sabe por onde começar, não se preocupe, pois você não está sozinho. De 2009 até abril deste ano, 11,3 milhões de brasileiros ingressaram no empreendedorismo, tanto por necessidade quanto por oportunidade. Não importa qual seja a motivação para ter seu próprio negócio, você pode começar hoje.

Abrir uma empresa pode ser uma das oportunidades mais gratificantes, estimulantes e interessantes que você já teve. Se você está ciente dos riscos e ainda está decidido a ser um empreendedor, coloque em prática as estratégias e os conselhos dos especialistas da Semana do MEI.
 

Comece certo: como empreender com poucos recursos, com Marina Moura - Publicitária e Consultora de Marketing

Começar um negócio com capital limitado requer uma mudança de mentalidade. Tradicionalmente, somos condicionados a iniciar o processo de busca de novas oportunidades de negócios perguntando: onde há uma lacuna no mercado e como posso preenchê-la? Uma lacuna pode ser uma necessidade não atendida do cliente ou uma nova invenção que ainda não foi lançada no mercado.

Na maioria das vezes, as pessoas têm dificuldade em levantar os recursos de que precisam, fazendo com que todo o projeto vá por água abaixo. Existe um caminho alternativo para a criação de um novo empreendimento: ao invés de começar com a pergunta: onde há uma lacuna no mercado e como posso preenchê-la?', pergunte-se: 'o que eu tenho e quem eu conheço?'

A teoria do fazer
Na hora de começar um novo negócio, avalie o que você tem à sua disposição. Considere as seguintes premissas:

  1. Habilidades: o que você pode fazer?

  2. Experiência: o que você fez no passado?

  3. Conhecimento: o que você sabe?

  4. Recursos tangíveis: o que você possui e a que tem acesso?

Lembre-se de que empreender é uma atitude, vai muito mais além do que um CNPJ. Um empreendimento é a atitude de uma pessoa que assume uma tarefa: é agir e realizar! Além de independência e autoconhecimento, você deve:

  • Ter iniciativa e buscar  oportunidades;

  • Persistir;

  • Calcular  riscos;

  • Ter preocupação com qualidade e eficiência;

  • Ter comprometimento;

  • Buscar informações;

  • Estabelecer metas;

  • Planejar e monitorar sistematicamente suas atividades;

  • Ter persuasão e rede de contatos.
     

Effectuation: a forma mais simples de começar

Uma trajetória de sucesso exige ter uma ideia brilhante, mostrar que há um mercado, criar um ótimo plano de negócios, captar investimento, fazer o negócio crescer e prosperar. No entanto, o futuro é imprevisível, não é mesmo? Mas a teoria de Effectuation (de Saras Sarasvathy, 2001) descreve uma abordagem para tomar decisões e executar ações em processos de empreendedorismo, em que você identifica o próximo e melhor passo avaliando os recursos disponíveis para atingir seus objetivos, enquanto equilibra continuamente esses objetivos com seus recursos e ações.

A efetivação difere da lógica causal, em que há um objetivo predeterminado e o processo para alcançá-lo é cuidadosamente planejado de acordo com um conjunto de recursos dados. 

A visão de mundo fundamental para efetivação é chamada de Piloto no avião'', que descreve o futuro como algo que você pode influenciar por meio de suas ações, ou seja, você pode criar suas próprias oportunidades. Os quatro princípios do effectuation são:

  • Pássaro na mão: você tem que criar soluções com os recursos disponíveis aqui e agora;

  • Princípio da limonada: erros e surpresas são inevitáveis e podem ser usados para buscar novas oportunidades;

  • Manta de retalhos: o estabelecimento de novas parcerias pode trazer ao projeto novos fundos e rumos;

  • Perda acessível: você só deve investir o quanto está disposto a perder.

A visão de mundo e os quatro princípios são usados nos processos de empreendedorismo para planejar e executar a próxima melhor etapa e ajustar a direção do projeto de acordo com o resultado de suas ações.

Entender as possibilidades e o que pode ser feito é uma das melhores formas de direcionar seus objetivos.

No negócios, empreender é ter foco na tarefa do cliente e buscar soluções cada vez melhores para ajudá-lo a desenvolver essa tarefa. Com esta mentalidade, flexibilidade e adaptabilidade, você tem uma vantagem competitiva, uma vez que entende as lacunas que precisam ser preenchidas trazendo inovação para o mercado.

 

Tendências e oportunidade para quem é MEI, com Ariel Sanches - Administrador e Consultor de Marketing

Ter iniciativa e buscar oportunidades é o melhor caminho para empreender. No entanto, quem deseja abrir o próprio negócio também precisa estar atento às tendências. Em meio à pandemia, as macrotendências (movimentos socioculturais que indicam novos hábitos e comportamentos, novas maneiras de consumir, novas linhas de pensamento)  têm influenciado o mercado. (Re) Humanização, economia compartilhada, trabalho remoto, economia circular e empresas online to offline (oferta de produtos ou serviços que o consumidor usa no mundo físico, mas que são comprados ou encontrados primeiramente no digital) são algumas das tendências que têm trazido sucesso aos empreendedores.

Além disso, é importante que  empreendedores e microempreendedores individuais (MEIs) fiquem atentos ao mapa de recursos:

  • Sociais (participação de grupos / comunidades, principalmente, com acesso aos canais de comunicação);

  • Ambientais (acesso a instrumentos materiais, insumos e equipamentos);

  • Culturais (acesso a conhecimentos, habilidades e competências);

  • Financeiros (acesso ao crédito próprio, de terceiros, coletivos e editais).

Além de ficar de olho nas principais tendências do mercado e no mapa de recursos,   é preciso conversar com os clientes, seguir influenciadores digitais (eles sempre têm novidades), observar a concorrência e nunca esquecer dos aspectos sustentáveis. Hoje, o cliente visa o consumo consciente!

Agora que você aprendeu como encontrar inspiração para empreender, conheceu as principais tendências do mercado, é hora de aprender a fazer o planejamento do seu negócio.
 

Ferramenta Canvas: aprenda a planejar seu negócio, com Evandro do Carmo - Especialista em Inovação e Novos Negócios

Construir um plano de negócios é a melhor maneira de iniciar sua caminhada no empreendedorismo. Para montar uma empresa e fazer de suas ideias um projeto de sucesso, você precisa ter uma visão abrangente e detalhada do mercado, do seu produto ou serviço e de suas atitudes empreendedoras.

Funciona como um mapa de viagens, que descreve a rota pela qual a organização percorrerá para chegar ao seu destino (os objetivos globais), mostrando a lógica de como uma organização pretende gerar valor.

Seu plano de negócios é um esquema que deve ser construído para que a estratégia possa ser implementada com sucesso por meio das estruturas organizacionais dos processos e sistemas que compõem a empresa. Para isso, separamos o Business Model Canvas, uma ferramenta de gestão estratégica que permite o desenvolvimento do modelo de negócio de uma empresa. 

Sua estrutura conta com nove blocos pré-formatados que servem de base para a criação de um modelo ou adaptação de um já existente. Por ser uma ferramenta visual, a metodologia Canvas é um facilitador da estratégia que ilustra todas as estruturas organizacionais, abrangendo quatro áreas principais da organização: clientes, suprimentos, infraestrutura e viabilidade financeira. Conheça seus nove componentes principais:

1) Clientes

Para quem estamos criando valor? Quem são nossos consumidores mais importantes?

Este componente define grupos de pessoas / organizações que a empresa tem como público-alvo. Como esses grupos são distintos, suas necessidades também o são. Ao direcioná-los, fica mais fácil desenvolver ações para atender cada um da melhor forma. Eles diferem no tipo de relacionamento, lucratividade, canais de distribuição e outras características.

2) Oferta de valor

Que valor oferecemos aos clientes? Que problema estamos ajudando a resolver? Que necessidades estamos satisfazendo? Que conjunto de produtos e serviços oferecemos para cada segmento de clientes?

Este componente explica por que os clientes escolhem sua empresa. A proposta de valor deve resolver um problema ou satisfazer alguma necessidade do cliente (de acordo com sua segmentação). Dessa forma, aumentar o desempenho de produtos / serviços é uma forma de criar e agregar valor.

3) Canais

Por quais canais nossos segmentos de clientes desejam ser contatados? Como podemos alcançá-los agora? Como nossos canais se integram? Qual funciona melhor? Quais são os mais econômicos? Como eles se integram à rotina do cliente?

Os canais referem-se à forma como sua empresa se comunica com os clientes, desde o momento da compra do produto até o suporte após a compra. Podem ser diretos (site) ou indiretos (lojas de revenda). As fases dos canais são:

  • Conhecimento: quando o público conhecerá sua marca;

  • Classificação: como sua empresa avalia;

  • Compra: como seus clientes fazem compras;

  • Entrega: como sua empresa entrega valor aos clientes;

  • Pós-venda: como sua empresa oferece suporte após a compra.

4) Relacionamento com clientes

Que tipo de relacionamento cada um de nossos segmentos de clientes espera que estabeleçamos com eles? Quais nós estabelecemos? Qual é o custo de cada um? Como eles se integram ao resto do nosso modelo de negócios?

O relacionamento com o cliente precisa ser definido de acordo com as motivações da empresa em relação à aquisição, retenção e expansão das vendas. Por exemplo, o relacionamento pode ser automatizado (bots, mensagens automatizadas) ou pode ser baseado na interação humana (representantes, call centers).

5) Fontes de receita

Que valores nossos clientes estão realmente dispostos a pagar? O que eles pagam atualmente? Como eles pagam? Como você prefere que eles paguem? Quanto cada fonte de receita contribui para a receita total?

Os fluxos de receita da sua empresa representam o dinheiro gerado a partir de cada segmento de clientes. Para calcular o lucro, os custos devem ser subtraídos da receita total. As fontes de receita podem incluir a venda de recursos (produtos físicos), taxas de uso (quanto mais o serviço é usado, maior o lucro), taxas de assinatura (para uso contínuo), empréstimos, aluguéis e licenciamento.

6) Características principais

Quais são os principais recursos que nossa proposta de valor exige? Nossos canais de distribuição? Relacionamento com clientes? Fontes de receita?

Esses são os recursos de que a empresa precisa para criar sua proposta de valor. Eles podem ser recursos físicos (fábricas, máquinas e veículos); intelectuais (patentes e conhecimentos específicos); humanos (funcionários respeitáveis e eficientes); ou financeiros (dinheiro e ações).

7) Atividades-chave

Quais atividades-chave nossa proposta de valor exige? Nossos canais de distribuição? Relacionamento com clientes? Fonte de receita?

Atividades-chave são as atividades que não podem deixar de acontecer para que sua empresa funcione bem. Elas são as ações mais importantes a serem tomadas.

Dependendo do tipo de modelo de negócio, elas podem ser categorizadas como: produção (desenvolvimento de produto, manufatura, entrega); resolução de problemas e plataformas / redes (necessárias ao funcionamento do negócio).

8) Parcerias-chave

Quem são nossos principais parceiros? Quem são nossos principais fornecedores? Quais são os principais recursos que estamos obtendo de nossos parceiros? Quais atividades-chave os parceiros realizam?

Eles são os fornecedores e os parceiros que permitem que o negócio se desenvolva de forma otimizada e econômica. Com essas alianças, é mais fácil obter recursos e reduzir a competitividade.

9) Estrutura de custos

Quais são os custos mais importantes em nosso modelo de negócios? Quais recursos principais são mais caros? Quais atividades principais são mais caras?

Essa estrutura pode envolver custos fixos e variáveis. Algumas empresas se concentram em modelos de negócios orientados a custos, portanto, tendem a minimizá-los ao máximo em suas atividades. Dessa forma, utilizam propostas de baixo valor. Outros se concentram na criação de valor nos produtos, o que torna suas atividades mais complexas. Consequentemente, o preço dos produtos / serviços finais é mais alto. 

Agora que você já sabe como o Canvas funciona, é hora de preenchê-lo com o seu modelo de negócio e simplificar o seu planejamento! E lembre-se de que empreendedorismo é ação!
 

Sempre enfatizei que empreendedor é aquele que realiza coisas novas e não, necessariamente, aquele que as  inventa.

                           Joseph Schumpeter

 

Precisa de ajuda? Fale com o Sebrae e tire suas dúvidas! 

Você pode deixar o seu comentário aqui, ligar para 0800 570 0800 ou nos chamar no WhatsApp clicando aqui 

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Lima
Sou Estrategista Digital, Produtora de conteúdo e Coordenadora da Comunidade Sebrae. Formada em Administração de Empresas, pós graduada em Marketing pela PUC/PR, tenho especializações em Marketing Digital. Apaixonada pelo vídeomarketing, também ensino pessoas a gravarem vídeos e atuarem no Instagram. Trabalho no Sebrae/PR há 10 anos :)favorite_outline Seguir Perfil
capa Vida de MEI
Vida de MEI
people 7434 participantes
O espaço dedicado exclusivamente aos Microempreendedores Individuais. Aqui você encontra conteúdo para ajudar quem já é MEI na solução dos problemas, e também para guiar todos aqueles que estão pensando em se formalizar. Seja bem vindo!
fixo
Em alta
Inscrição Estadual MEI - Paraná
24 nov. 2022Inscrição Estadual MEI - Paraná
VENDAS NA INTERNET: Como trabalhar sendo afiliado
09 nov. 2021VENDAS NA INTERNET: Como trabalhar sendo afiliado
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?