Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightNegócios em Turismokeyboard_arrow_rightArtigos

O Turismo e a agenda da Sustentabilidade

avatar DARTILENE DE SOUZA E SILVA
Dartilene De Souza E Silvafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt1
O Turismo e a agenda da Sustentabilidade
1 pessoa curtiu esse artigo
Criado em 06 DEZ. 2023
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Uma pesquisa publicada em outubro de 2023 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo- CNC aponta dados interessantes sobre ESG (Environmental, Social and Governance) e Economia Circular nas empresas de turismo. A primeira parte do estudo retrata o conhecimento das empresas em relação ao entendimento sobre esses temas. Pois, de acordo com o Relatório de Riscos globais de 2023, realizado pelo Fórum Econômico Mundial do FMI, os principais riscos globais a se manifestarem nos próximos 10 anos, relacionados ao clima e à natureza são: falha na mitigação das mudanças climáticas, falha na adaptação às mudanças climáticas, desastres naturais, eventos climáticos extremos e perda de biodiversidade e colapso do ecossistema.

 

A pesquisa da CNC revelou que das empresas de pequeno porte, 64,7% possuem maior entendimento sobre o significado de ESG, mas isso se dá pelo fato do entendimento completo do conceito ser mais elevado entre as empresas de maior porte. Sobre Economia Circular, 65,4% pratica gestão de resíduos, sendo que 3 em cada 10 empresas ainda não atuam de nenhuma forma.


Entre empresas de comércio, serviços e turismo, foi nos empreendimentos do turismo que a sustentabilidade ganhou mais relevância nos últimos anos, segundo o estudo, com 63,2% dos negócios.

 

Os resultados da pesquisa apontam que - "86,2% considera a sustentabilidade algo importante para a empresa, porém metade ainda não vê o desenvolvimento sustentável como uma oportunidade de ganhar dinheiro, e 2 em cada 10 acreditam que a agenda representa apenas custos e despesas. Ou seja, para a sustentabilidade de fato ganhar representatividade nas ações e planejamento das empresas de forma geral, elas ainda precisam visualizar os impactos em seus resultados. Para isso, é fundamental a aplicação de métricas padronizadas para medir esses impactos em cenários distintos."

 

Outro dado que o estudo traz é que para 6 de cada 10 empresas o tema Sustentabilidade ganhou relevância, e 75% entendem que o tema se tornará ainda mais importante no próximo ano. Das empresas de grande porte, 6 em cada 10 consideram esse assunto como uma oportunidade de ganho, mas somente 4 em cada 10 empresas menores pensam assim. Esse dado mostra que as pequenas empresas têm muito que avançar ainda na agenda da sustentabilidade.

 

Na dimensão ambiental, a pesquisa aponta que 8 em cada 10 empresas praticam ações de preservação ambiental mesmo que os resultados não sejam mensurados no seu negócio, sendo as mais praticadas: a destinação adequada de resíduos sólidos, o licenciamento ambiental e o uso de energias renováveis. Entre as empresas de pequeno porte, 83% consideram que a empresa passa uma boa imagem para aos clientes em termos de preservação do meio ambiente, mas metade delas afirma que a sustentabilidade perdeu ou não ganhou relevância na atuação da empresa no último ano.

 

Em relação à dimensão social, as iniciativas mais presentes são incentivos aos empregados para se qualificarem. Esse resultado condiz com a necessidade das empresas, já que o setor necessita de muita mão de obra, porém a concessão de bolsas de estudos é realizada somente por 3 em cada 10 negócios. Ou seja, as empresas incentivam que os colaboradores façam cursos, mas estão menos dispostas a pagar por esta qualificação.

 

Outro ponto relevante na pesquisa revela que cerca de 63% das empresas procura oferecer um ambiente de trabalho agradável e seguro, mas somente 3,9% estão abertas a equipes de trabalho mais diversas, nem aceitam críticas e sugestões dos empregados (16,8%). Oito em cada 10 empresas de turismo observam boas práticas sociais e ambientais na contratação dos seus fornecedores.

 

Em geral, o estudo mostrou que o setor terciário está orientado a cumprir as obrigações legais relacionadas a agenda da sustentabilidade. Os principais desafios e barreiras para que as empresas adotem ações mais sustentáveis no dia-dia são: informações suficientes para investirem recursos na adoção de iniciativas mais sustentáveis; pessoal suficiente e qualificado; crédito para investir em ações sustentáveis, pois quase 40% das empresas de pequeno e grande porte ainda não consideram o tema sustentabilidade relevante suficiente para disporem de recursos.

 

 

Fonte: https://portal-bucket.azureedge.net/wp-content/2023/09/Retrato-da-Sustentabilidade-nas-empresas-do-comercio-servicos-e-turismo_FINAL.pdf

avatar DARTILENE DE SOUZA E SILVA
Dartilene De Souza E Silva
Graduada e Mestre em Turismo (UFPR); Especialista em Gestao de Pessoas e em Planejamento e Gesato de Negocios. Desde 2006 vem se especializando em Normalizacao no Turismo atuando como instrutora e consultora para orientacao e/ou implantacao de normasfavorite_outline Seguir Perfil
capa Negócios em Turismo
Negócios em Turismo
people 1288 participantes
Conteúdo relevante, prático e instrutivo, indicando soluções para as empresas e atores ligados aos negócios de turismo e viagem buscarem novos caminhos e superarem a crise.
fixo
Em alta
Experiências turísticas do Paraná
29 nov. 2022Experiências turísticas do Paraná
Origem e importância dos bares
18 nov. 2022Origem e importância dos bares
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?