Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightEmpresas Inovadoraskeyboard_arrow_rightArtigos

Situação do mercado de carros de aplicativo no pós-pandemia

avatar FLAVIA DE SIQUEIRA VIANA
Flavia De Siqueira Vianafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt1
Situação do mercado de carros de aplicativo no pós-pandemia
1 pessoa curtiu esse artigo
Criado em 26 JAN. 2023
text_decreaseformat_color_texttext_increase

De acordo com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA), o número de pessoas no setor de transporte de passageiros independente era de 800 mil em 2016.


Em 2019, no entanto, o cenário havia mudado e o número também, chegando a 1,3 milhão, após o início da pandemia, o número caiu para 950 mil. 


O aplicativo de transporte mais utilizado no mundo, Uber, foi lançado no Brasil em 2009, e a proposta era atender a um público específico, especialmente os luxuosos.


O aplicativo, no entanto, tornou-se popular e a empresa Uber foi ganhando notoriedade. Não muito tempo depois, os concorrentes começaram a surgir, o que demonstrou que o mercado estava aberto a atender as demandas de mobilidade urbana. 


Esses aplicativos desempenharam papel crucial na mobilidade urbana, mas não só; significam um importante marco na geração de novas formas de renda e emprego.


Embora existam discussões a respeito da precarização do trabalho, é inegável que, em momentos de profunda crise, ser motorista credenciado da Uber tornou-se uma alternativa viável e uma das profissões que mais rapidamente cresceu no país. 


Afinal de contas, a falta de oportunidades levou diversos brasileiros a entrarem no aplicativo. A pandemia por sua vez afetou não apenas a saúde, mas também teve impactos econômicos que reverberaram em todos os setores da sociedade. 


No terceiro trimestre de 2022, a Uber divulgou os resultados financeiros de sua operação em 2022, notando-se que a quantidade de corridas aumentou em 26% entre julho e novembro, em relação ao mesmo período de 2021.


Embora o número seja positivo, a empresa encerrou o período com uma negativa de US$ 1,2 bilhão. 


Das possibilidades, está a inflação crescente não só no Brasil, mas em vários países do mundo, e, embora o temor fosse de que o número de viagens sofresse uma queda, isso não ocorreu.


Outro fator positivo é que o número de usuários ativos mensais teve uma elevação de porcentagem de 14%, em comparação anual o número representa cerca de 124 milhões de usuários.  


De maneira geral, as dificuldades foram superadas, e, no fim de setembro de 2022, a base de motoristas era equivalente ao número registrado em 2019, meses antes da pandemia, o que indica que a Uber vem se recuperando após a pandemia. Abrindo até mesmo espaço para novos negócios, como o aluguel de carros para Uber a preço acessível, que, além de trazer economia em longo prazo, a preocupação com burocracias é mínima, não incluindo emplacamento, taxas, IPVA, documentação, entre outros. 


E você, acha que esse mercado fica mais forte pôs pandemia?

avatar FLAVIA DE SIQUEIRA VIANA
Flavia De Siqueira Viana
favorite_outline Seguir Perfil
capa Empresas Inovadoras
Empresas Inovadoras
people 1534 participantes
Esse grupo busca apresentar, por meio da inovação, assuntos ligados ao crescimento das micro e pequenas empresas. Fortalecendo assim os ecossistemas de inovação do Brasil. Participe com a gente!
fixo
Em alta
Aumente sua produtividade em cerca de 30% com o uso da Inteligência Artificial. Pergunte-me como!
22 nov. 2023Aumente sua produtividade em cerca de 30% com o uso da Inteligência Artificial. Pergunte-me como!
Determine o futuro da sua empresa
27 jan. 2022Determine o futuro da sua empresa
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?