Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightNovos Negócioskeyboard_arrow_rightArtigos

5 erros que você não pode cometer no Processo de importação

avatar SILVIA ZUCKERT NUNES VANALI
Silvia Zuckert Nunes Vanalifavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
5 erros que você não pode cometer no Processo de importação
Criado em 10 MAR. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Sejam consequências associadas à legislação ou aos aspectos financeiros, referentes a erros de planejamento e negociação, todas as vantagens que uma importação pode trazer podem se transformar em perdas, o que inviabilizará o negócio.

Quer descobrir quais são os principais erros que não devem ser cometidos durante um processo de importação? Continue lendo e saiba mais!

1. Não fazer o planejamento

O planejamento deve estar presente em todas as decisões dentro de sua empresa. Quando o assunto é importação, os responsáveis devem estar atentos em planejar cada passo do processo, levando em consideração todos os detalhes da carga.

São informações importantes a serem consideradas no planejamento:

  • local de origem da mercadoria;
  • local de desembarque da mercadoria;
  • modalidade de frete;
  • Incoterms;
  • classificação fiscal;
  • documentação exigida em relação ao tipo de mercadoria.

Se essas informações não fizerem parte do planejamento, pode ser que o processo de importação apresente custos de ineficiência ou não contemple a documentação necessária para atender os aspectos legais, trazendo problemas para a empresa.

2. Realizar o embarque da mercadoria importada sem a licença de importação

licença de importação (LI) é uma documentação aplicada a determinadas mercadorias que precisam de uma autorização especial para que possam ser importadas. 

Existem três tipos de LI que podem ser aplicadas:

  • licença dispensada: quando não há necessidade de uma autorização especial para importar a mercadoria;
  • licença automática: quando a LI é necessária, porém, não é preciso que o produto entre em processo de análise;
  • licença não automática: a mercadoria precisa passar por uma vistoria antes de ser liberada.

O que vai determinar de qual tipo de licença a carga precisa é a classificação fiscal dela. Caso o embarque seja feito sem prévia liberação, sua empresa correrá risco de multa e o produto poderá passar por uma vistoria mais rigorosa, atrasando o processo.

3. Não ter conhecimento prévio da NCM do produto importado

O NCM é a Nomenclatura Comum do Mercosul, código que tem como objetivo classificar um produto. Essa classificação é feita de acordo com a natureza e as características da mercadoria.

É a partir dessas informações que o importador saberá qual a alíquota de imposto da carga e se são aplicados contingenciamentos ou outros acordos internacionais que podem influenciar na necessidade de documentação extra.

Alguns produtos exigem certificados e/ou o licenciamento — LI — para o embarque, como falamos no tópico anterior. Sem essa documentação, a empresa corre o risco de ter de pagar multas por erro de classificação e pela própria falta do documento.

Para determinar a NCM de um material é preciso saber o que é o produto, qual sua matéria-prima e para que ele serve. Classificá-lo de acordo com a menor alíquota fará com que a empresa sofra risco de multa por erro de classificação fiscal.

4. Não incluir a assinatura do exportador na fatura comercial

Dentro das exigências da Receita Federal em relação à documentação de importação está a assinatura do exportador na fatura comercial. O ideal é que a assinatura seja em caneta azul e feita de próprio punho pelo exportador, não sendo aceitos somente carimbos ou algo semelhante.

5. Não se atentar para o Incoterm mais adequado

A definição do Incoterms é o aspecto mais importante a ser observado por qualquer pessoa que vá fazer compras ou vendas no exterior. A sigla significa “Internacional Commercial Terms”, ou seja, os termos comerciais de qualquer compra ou venda feita fora do país.

O Incoterms definirá três aspectos importantes sobre a transação: quem é o responsável pelo frete, qual é o ponto de coleta da mercadoria e quem será o responsável pelo seguro. Essa determinação deve ser estudada com cautela para que se verifique qual modo de entrega seria o mais adequado, levando em consideração todos os riscos envolvidos durante o transporte.

Se a estratégia da sua empresa é atingir o mercado internacional, o conhecimento dos detalhes relacionados à documentação e aos aspectos legais que um processo de importação e exportação requerem é primordial.

É de grande importância ter uma empresa parceira que possa oferecer expertise em comércio internacional e que entenda todos os detalhes necessários para o processo de importação e exportação. 

Assim, você vai evitar que os erros citados acima aconteçam, expandindo as possibilidades de mercado para o seu negócio.


E você, já sabia desses processos?

avatar SILVIA ZUCKERT NUNES VANALI
Silvia Zuckert Nunes Vanali
Sou Silvia, trabalho a mais de 20 anos com comercio Exterior, proprietária da empresa S&S Comex prestando assessoria Aduaneira na área de Importação e Exportação, abrangendo toda parte logística do comércio Internacional.favorite_outline Seguir Perfil
capa Novos Negócios
Novos Negócios
people 5313 participantes
Um espaço aberto para trocas de experiências sobre novos negócios. Se você já tem uma ideia de negócio, ou ainda não sabe por onde começar, este é o lugar certo! Aqui, você encontra conteúdos para te ajudar a ter sucesso nesta jornada empreendedora ¿¿
fixo
Em alta
Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
16 ago. 2022Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
Sebrae em Dados - Salões de Beleza
15 out. 2022Sebrae em Dados - Salões de Beleza
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?