Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightVarejo keyboard_arrow_rightArtigos

Desmistificando as Diferenças: Preço, Custo e Valor

avatar DORIAN L. BACHMANN
Dorian L. Bachmannfavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Desmistificando as Diferenças: Preço, Custo e Valor
Criado em 26 JUN. 2023
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Há algumas semanas, lendo a introdução em um livro sobre arte, deparei com a seguinte frase: "Para redução dos custos de edição e do valor ao consumidor, este livro contém número reduzido de imagens". Obviamente, o autor não queria desmerecer sua obra. Mas, como boa parte das pessoas, ele trata os termos preço, custo e valor como sinônimos, o que causa muita confusão. Vale entender as diferenças, especialmente se você é um empresário.

 

  • Custo

    Corresponde a quantidade de recursos, geralmente descrita em alguma unidade monetária, usada para obter um produto ou fornecer um serviço. Por exemplo: uma bola custa R$90,00; esse custo inclui o couro e o fio usados como matéria prima, a mão de obra para fazer as costuras e ainda a tinta para o acabamento.


  • Preço

    Corresponde àquilo que é pago pelo cliente. O preço deve cobrir o custo e ainda deixar uma margem de lucro. Então: preço = custo + margem

 

Em nosso exemplo, possivelmente o preço da bola poderia ser R$120,00, deixando uma margem de R$30,00 para o vendedor.

 

Mas, e o valor? 


É difícil traduzir em valor monetário, pois o valor é subjetivo e depende muito da necessidade real ou emocional das pessoas. Essa é a razão pela qual uma garrafa de água mineral gelada pode ser vendida por diferentes preços no mercado e na praia. Pela situação e conveniência, o produto vale mais para o banhista do que para o comprador no mercado.

 

O conceito de valor, completamente desconectado do custo, é mais evidente nos produtos de luxo ou de marca. Algumas pessoas literalmente valorizam mais um produto raro ou de marca pela possibilidade de ostentar. Assim, quem oferece um produto deste tipo pode vender por um preço muito mais alto que o seu custo, pois para o comprador seu valor é ainda mais elevado.


Na verdade, o conceito é intuitivo e é comum ouvirmos: Isso vale quanto custou, referindo-se ao benefício de um produto comprado. 

 

Resumindo, o autor do livro citado no início estava preocupado em manter o custo da obra baixo para que, mesmo com o necessário lucro, pudesse oferecer o produto por um preço baixo. Ou seja, um preço inferior ao valor da obra para os potenciais compradores, garantindo as vendas.

 

Daqui para a frente, não confunda custo com preço ou valor. E, se percebeu valor neste texto, siga-me para ler meus posts sobre o uso de indicadores na gestão.

 

"Se a linguagem não estiver correta, então o que é dito não é o que se quer dizer;

Se o que é dito não é o que se pretende,

Então, o que deveria ser feito permanece por fazer".

Confúcio


avatar DORIAN L. BACHMANN
Dorian L. Bachmann
Especialista em indicadores de desempenho e benchmarking. Ajudo na seleção, padronização, apresentação, uso e interpretação de indicadores de desempenho, para identificar oportunidades de melhorias e estabelecer metas mais eficazes.favorite_outline Seguir Perfil
capa Varejo
Varejo
people 3853 participantes
Um local criado para oferecer ao EMPRESÁRIO DO VAREJO conteúdos relevantes e atualizados, tendências, cursos e interação com atores do ecossistema, gerando conhecimento e networking.
fixo
Em alta
Canvas de Vendas: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa
09 nov. 2021Canvas de Vendas: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa
Como a automação industrial impacta nossas vidas
09 ago. 2021Como a automação industrial impacta nossas vidas
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?