Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightAmbientes de Inovaçãokeyboard_arrow_rightArtigos

Por que o meu projeto não foi apoiado?

avatar ENELVO SANCHOTENE MARTINELLI
Enelvo Sanchotene Martinellifavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Por que o meu projeto não foi apoiado?
Criado em 25 MAI. 2020
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Já participei e encaminhei diversos projetos para avaliação de Fontes de Fomento: FINEP, Fundação Araucária, BNDES, CNPQ, CAPES, MCTIC, e diversos outros fomentadores. Alguns tiveram êxito e outros tantos não.  Aí fica o questionamento, no que nossa equipe errou ?

Na pré-qualificação, sempre por não atendimento aos requisitos formais do instrumento

Erros mais comuns:

       Envio de documentação incompleta;

       Envio após a data limite;

       Falta de via impressa ou assinaturas;

       Falta CD de backup; Isso mesmo, teve um tempo que você tinha que mandar um CD com os arquivos para o órgão de fomento. (sou desse tempo);

       Falhas na relação de itens solicitada;

       Inelegibilidade de membro do consórcio executor;

       Total falta de aderência aos objetivos da Chamada;

      Preenchimento incorreto ou incompleto do Formulário;

Na avaliação de mérito por baixo conteúdo inovador, fraco atendimento aos objetivos do instrumento ou ainda insuficiência de recursos disponíveis

Erros mais comuns :

      Ausência de inovação tecnológica;

      Falta de clareza quanto aos objetivos e metodologia;

      Mecanismos de coordenação gerencial mal definidos;

      Cronograma físico e financeiro inadequados;

      Ausência de elementos priorizados pelo instrumento (cooperação, compartilhamento, incorporação de resultados, etc.);

      Distinção entre contrapartida financeira e não-financeira;

 

Por que os projetos deixam de ser apoiados ? Consórcio executor

      Proponente (depois Convenente) - Responsável pela celebração do convênio e pela execução gerencial e financeira do projeto;

      Executor e Co-executores - Responsável(is) direto(s) pela execução técnica do projeto;

      Interveniente(s) - Entidades que não recebem recursos do projeto mas, beneficiárias dos seus resultados, participam assumindo obrigações em nome próprio, podendo participar da execução técnica do projeto e aportar recursos de contrapartida;

 

Por que os projetos deixam de ser apoiados ?  Contrapartida

      Contrapartida financeira investimentos feitos diretamente no projeto pelas instituições envolvidas, adquirindo produtos ou serviços de terceiros, comprováveis através de notas fiscais e recibos;

      Contrapartida não-financeira recursos materiais e humanos próprios das instituições que são disponibilizados para o projeto, comprováveis através de termos de uso, cessão, transferência, etc;

      Calcular a contrapartida como percentual  do projeto total, e não como percentual do orçamento FINEP ou outro órgão do governo.

 

Lembre-se:

·      Seja honesto com o financiador. Não tente vender uma idéia que já existente como novidade. Existem formas de buscar informações sobre isso.

·      Indique os produtos e concorrentes que se aproximam da inovação proposta, mas evidenciando as vantagens da Inovação.

·      O financiador não investirá em uma inovação que já existe, portanto, não deixe esta impressão.

 

Recomendações:

·      Equilíbrio entre a abordagem micro e macro a questão da informação suficiente;

·      Qualificação da equipe executora adequabilidade ao projeto; o conjunto de saberes demandados pelo projeto pode e deve ser descrito no Resumo da Equipe Executora;

·      Foco nas características da Chamada Pública;

·      Foco na Banca de Avaliação equilíbrio entre aspectos científicos e mercadológicos, com os efeitos de desenvolvimento social, institucional ou regional.

Uma nova abordagem

·      o problema busca a solução, e não o contrário;

·      Novos tempos em uma cultura de projetos;

·      tempo de construção do projeto;

·      o tempo de acreditação do projeto;

·      o tempo de redação do projeto;

·      o tempo de leitura cega do projeto (à luz dos critérios de avaliação de mérito);

·      o tempo de ajustes do projeto;

·      Engane Murphy (o da lei), pois ele não aparece para ajudar, pelo contrário.

 

Aprendizado efetivo com Felipe Couto - Senai e Cesar Bellinati Angelus.


Comunidade Ambientes de Inovação comunidadesebrae.com.br/inovacao

avatar ENELVO SANCHOTENE MARTINELLI
Enelvo Sanchotene Martinelli
favorite_outline Seguir Perfil
capa Ambientes de Inovação
Ambientes de Inovação
people 1337 participantes
Os ambientes promotores de inovação são ativos de transformação dos ecossistemas. Por isso, criamos aqui um espaço para compartilhar conhecimento e experiências que podem ajudar os empreendedores e heads de inovação. Conecte-se agora e faça parte desta comunidade você também!
fixo
Em alta
O que é Inteligência Artificial?
25 nov. 2023O que é Inteligência Artificial?
Economia Circular: Importância e Desafios
05 dez. 2023Economia Circular: Importância e Desafios
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?