Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightNovos Negócioskeyboard_arrow_rightArtigos

Lojas compartilhadas: como iniciar seu negócio com um ponto físico sem gastar muito

avatar FLAVIA DE SIQUEIRA VIANA
Flavia De Siqueira Vianafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt1
Lojas compartilhadas: como iniciar seu negócio com um ponto físico sem gastar muito
1 pessoa curtiu esse artigo
Criado em 04 JUL. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Quem pretende entrar ou está começando a empreender no ramo da tatuagem sabe bem que dar os primeiros passos sempre é a parte mais difícil do negócio. Arranjar um espaço bem localizado e a preços acessíveis é um verdadeiro desafio, e essa acaba sendo uma etapa determinante de qualquer empreendimento da área.

É essencial que um estúdio de tatuagem esteja em uma área movimentada para que seja mais visto, especialmente no começo, quando ainda é desconhecido e não possui clientela.

Todo negócio precisa começar de algum lugar, então aqueles que não dispõem de tanto capital de investimento para montar um estúdio maior e mais equipado não precisam se preocupar com isso de início. O importante é ter um espaço decente para iniciar as operações e, assim, com o tempo, ir expandindo gradativamente. Nesses casos, procurar por uma loja compartilhada, também chamada de loja colaborativa, é uma ótima forma de alcançar esse feito gastando bem menos que o esperado.

O conceito é simples: são várias lojas e empreendimentos dividindo um mesmo espaço, que costuma ser separado por nichos, araras, boxes e outras coisas, dependendo do tipo de serviço que está sendo oferecido. Esses lugares podem conter de tudo, desde uma loja de roupas e sapatos até um estúdio de tatuagem. É claro que o espaço alugado é bem limitado, mas é o ideal para começar a trabalhar e o preço também é condizente com a realidade do empreendedor.

Existem dois tipos de aluguel dentro de uma loja compartilhada: o expositor fixo e o expositor flutuante.

O fixo seria um compromisso mais duradouro com o local, onde o empreendedor paga uma taxa mensal (que costuma ser baixa, na casa dos R$ 150) e uma porcentagem do seu lucro do mês (variando de acordo com o contrato).

O flutuante aluga apenas um espaço provisório, funcionando como um período de teste; geralmente, não é cobrada nenhuma taxa fixa, apenas a porcentagem do lucro do período em que ele atuar dentro do estabelecimento.

Além do aluguel ser bem baixo, o restante depende exclusivamente do lucro do negócio, então não existe um valor predefinido para ser pago. Dessa forma, basta consultar o CNPJ, regularizar sua empresa e escolher a loja compartilhada mais bem localizada para começar a trabalhar e fazer o seu negócio crescer. 

E você já sabia sobre esse tipo de aluguel?

avatar FLAVIA DE SIQUEIRA VIANA
Flavia De Siqueira Viana
favorite_outline Seguir Perfil
capa Novos Negócios
Novos Negócios
people 5333 participantes
Um espaço aberto para trocas de experiências sobre novos negócios. Se você já tem uma ideia de negócio, ou ainda não sabe por onde começar, este é o lugar certo! Aqui, você encontra conteúdos para te ajudar a ter sucesso nesta jornada empreendedora ¿¿
fixo
Em alta
Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
16 ago. 2022Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
Sebrae em Dados - Salões de Beleza
15 out. 2022Sebrae em Dados - Salões de Beleza
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?