Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightAmbientes de Inovaçãokeyboard_arrow_rightArtigos

Inovação aberta ou fechada?

avatar RENATO ANDERCAO PEREIRA
Renato Andercao Pereirafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt1
Inovação aberta ou fechada?
1 pessoa curtiu esse artigo
Criado em 06 JUN. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Os ambientes de inovação são locais físicos criados com o objetivo de concentrar e facilitar o contato entre pessoas, organizações e ideias, estimulando assim a geração de novas soluções. Esses ambientes podem ser divididos em dois grandes grupos: os chamados ambientes de inovação aberta e os ambientes de inovação fechada.


Ambientes de inovação aberta são aqueles em que as pessoas, as organizações e as ideias estão livres para circular e se relacionar. Nesse tipo de ambiente, não há barreiras para o contato entre as pessoas e as organizações, o que facilita a troca de ideias e a geração de novas soluções.


A ideia é promover uma forma de inovação mais colaborativa e diversa. Nela, há o envolvimento de várias partes externas à uma empresa, como clientes, fornecedores, institutos de pesquisa, órgãos públicos, startups e outras empresas. Esse conceito representa uma verdadeira mudança na forma de pensar de muitos empreendedores.


Afinal, grandes negócios muitas vezes preferem guardar suas ideias como um segredo. Porém, a inovação aberta permite gerar valor à empresa por meio do compartilhamento de conhecimento. Vale destacar que essa estratégia é benéfica para todas as partes. Principalmente em tempos de crise, onde a colaboração é extremamente importante. Resumindo, trata-se de uma forma de inovação mais descentralizada e disruptiva.


os ambientes de inovação fechada são aqueles em que as pessoas, as organizações e as ideias estão restritos a um espaço físico determinado. Nesse modelo, a organização reúne os melhores profissionais do mercado na busca pelas soluções que darão as respostas inovadoras para os desafios apresentados internamente.


Aqui, estamos falando de empresas com grandes e potentes departamentos de pesquisa e desenvolvimento e inovação (P&D&I). Os avanços são tratados com muito sigilo, e as descobertas serão a matéria-prima de base para o desenvolvimento do novo produto, serviço ou até mesmo processo. Se todos os recursos investidos são os da empresa, todos os resultados também.


A companhia que opta pelo modelo de inovação fechada detém todos os direitos autorais e de propriedade intelectual daquilo que desenvolve o que nem sempre acontece com a inovação aberta. Nesse tipo de ambiente, da inovação fechada, as pessoas e as organizações podem ter mais facilidade para se relacionar, mas há barreiras que podem dificultar a troca de ideias e a geração de novas soluções, uma vez que o conhecimento pode muitas vezes permanecer restrito a um circulo fechado de pesquisadores.


É perceptível que tanto a inovação aberta quanto fechada possuem benefícios e limitações específicas, certo? Por conta disso, não podemos definir esses conceitos como excludentes, nem um, nem outro. Ou seja, eles podem coexistir para gerar benefícios a uma organização. Na prática, a inovação aberta pode atuar como um complemento à inovação fechada que ocorre internamente na organização.


Coexistência é a palavra chave!

Nas grandes empresas já existe esta coexistência entre inovação fechada e aberta, seja na pesquisa ou no desenvolvimento. Por exemplo, em uma indústria química é muito comum observar ações de P&D&I fechados, com a pesquisa de ponta dentro da empresa, com pesquisadores especializados de alto nível.


Muitos desses profissionais têm doutorado e em certo momento se conectam com o mercado em busca de mais soluções para o desenvolvimento, se relacionando com universidades, institutos de pesquisa e outros parceiros. É possível também, por uma questão de pesquisa ou de tecnologia, realizar o processo completo de inovação fechada até o momento em que lança a solução no mercado.


Depois então abrir essa tecnologia e dizer agora todo mundo pode cooperar comigo aí se torna inovação aberta. Outro formato é começar com a inovação aberta, por exemplo, com um hackathon em busca de soluções a um determinado problema. Várias ideias são iniciadas, outras vão ficando pelo caminho.

Muitas iniciativas são bacanas, mas para serem desenvolvidas, elas necessitam de maior profundidade, de pesquisa, laboratório e em segredo, até que acabam se tornando fechadas.


Vale conferir esse TED onde Charles Leadbeater tece uma forte argumentação em torno da ideia que a inovação já não é só para profissionais. Amadores com paixão, usando novas ferramentas, criam produtos e paradigmas que empresas sem interesse em novas estratégias jamais seriam capazes de criar.


Sua organização já inova? Qual o formato que ela utiliza? Como compartilha e busca conhecimento?





avatar RENATO ANDERCAO PEREIRA
Renato Andercao Pereira
Olá, sou Renato, inquieto e totalmente viciado em transmitir conhecimento, buscando sempre comunicar de forma simples e descontraída. Sou business designer na Nectus, um laboratório de inovação aberta que constrói soluções estratégicas para o desenvolvimento sustentável de comunidades à negócios. favorite_outline Seguir Perfil
capa Ambientes de Inovação
Ambientes de Inovação
people 1367 participantes
Os ambientes promotores de inovação são ativos de transformação dos ecossistemas. Por isso, criamos aqui um espaço para compartilhar conhecimento e experiências que podem ajudar os empreendedores e heads de inovação. Conecte-se agora e faça parte desta comunidade você também!
fixo
Em alta
O que é Inteligência Artificial?
25 nov. 2023O que é Inteligência Artificial?
Economia Circular: Importância e Desafios
05 dez. 2023Economia Circular: Importância e Desafios