Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightFinanças e Tributoskeyboard_arrow_rightArtigos

Hoje é dia de Quem? Dia do Palhaço!

avatar MARCELA CAROLINE LAZZERI
Marcela Caroline Lazzerifavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Hoje é dia de Quem?  Dia do Palhaço!
Criado em 10 DEZ. 2020
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Hoje é dia do palhaço, uma figura tão nobre, e por isso, eu quero falar com vocês sobre Causas Sociais!

Nem sempre precisamos comemorar uma data promovendo uma ação para ter um retorno financeiro, podemos de vez em quando apoiar uma causa nobre, hoje é um dia propicio para isso.

História do Palhaço

Dia dos Palhaços é uma comemoração que ocorre no dia 10 de dezembro, começou a ser festejado em 1981 no Brasil pela Abracadabra Eventos[2] em São Paulo, passando, ao decorrer dos anos, a ser comemorado em outras capitais brasileiras. Em 21 de Dezembro de 2017 foi sancionada a Lei 13.561[3], tornando oficial a data em todo o território brasileiro.

O palhaço é lírico, inocente, ingênuo, angelical e frágil. O palhaço não interpreta, ele simplesmente é. Ele não é um personagem, ele é o próprio ator expondo-se, mostrando sua ingenuidade. Na busca desse estado, o ator não busca construir um personagem, mas sim encontrar essas energias próprias, tentando transformá-las em seu corpo. Portanto, cada ator desenvolve esse estado pessoal, de palhaço, com características particulares e individuais.[3]

Tipos de palhaço

  • Clown

O clown é um personagem múltiplo e, às vezes, nem é visto como um personagem, mas sim como um estado, o estado de clown. Com isso, os tipos e os modos de se exercer o ofício são inúmeros. Desde personagens mais óbvios como o Bozo até os comediantes mais sutis como Mr. Bean. Mas no decorrer da historias, certos tipos se consolidaram e se estruturaram com características fixas.

  • Branco e Augusto

Augusto é o tipo mais conhecido no Brasil. É extravagante, absurdo, pícaro, mentiroso, surpreendente, provocador. Representa a liberdade e a anarquia, o mundo infantil. É desajeitado e desastrado, tornando sua atuação desajeitada e deselegante. É inoportuno em sua tentativa de socializar-se, mas acaba por conquistar com sua simpatia e brincadeiras. Ele é uma grande hipérbole. Tudo é grande, suas roupas, seu nariz, seus sapatos.

O Branco é o inverso do Augusto. Também chamado Cara branca, Pierrot, Enfarinhado e Esperto ou Sério. Em vários circos do Brasil ele é conhecido como Escada. O tipo nasceu na Inglaterra em meados do século XVIII, com Giuseppe e Joe Grimaldi, costumava aparecer maquiado de branco e vestido num elegante vestido brilhante. Seus trajes são seu grande diferencial, já que sua elegância revela um clown aristocrata, que, quando contracena com outros palhaços, toma o controle da situação.

Os dois formam a dupla mais tradicional de palhaços, com um contrasto apolíneo e bacante, de ordem e desajuste.

Ações Sociais

ação social tornou-se ferramenta importante para proporcionar melhor integração e, assim, potencializar o desenvolvimento do pensamento e do comportamento humano em virtude das necessidades apresentadas pelo outro em uma constante via de mão dupla.

Aqui apresento algumas Organizações Sociais que usam do Riso para trazer bem estar e alegria a pacientes em hospitais, orfanatos e onde mais precisar.

Doutores da Alegria

Doutores da Alegria é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que introduziu a arte do palhaço no universo da saúde, intervindo junto a crianças, adolescentes e outros públicos em situação de vulnerabilidade e risco social em hospitais públicos.

Fundada pelo ator, palhaço e empreendedor social Wellington Nogueira em 1991, Doutores da Alegria é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos. A associação transita pelos campos da saúde, da cultura e da assistência social e é reconhecida e premiada internacionalmente pelo impacto de suas ações. Em 2016, com um nova governança, atualizamos nossa missão para uma tarefa institucional que reforça, entre outras diretrizes, a cultura como um direito de todos.

Palhaços sem fronteiras

O Palhaços Sem Fronteiras Brasil é uma organização social sem fins lucrativos fundada em 2016, momento em que foi aceita como integrante da Palhaços Sem Fronteiras Internacional Clowns Without Boders International (CWBI).

Sua principal atuação é a realização de espetáculos de palhaçaria e artes circenses destinadas para campos de refugiados, abrigos, ocupações, alojamentos, transcendendo barreiras culturais, de idioma, políticas, sociais e religiosas.

Risologistas Doutores do Riso

Risologistas é uma Companhia de Circo e Teatro que visa através do Palhaço levar arte e poesia para lugares que necessitam.

A Companhia Risologistas foi criada a partir de uma ideia do Dr. Marco A. Largura e do Prof. Alfredo Cruz na cidade de Cascavel em 2007. Hoje possui sedes em três cidades do Paraná (Cascavel, Cianorte e Curitiba) e o seu objetivo é a formação e desenvolvimento de uma arte com importância social, buscando novas linguagens para o Circo Teatro em vários ambientes.

Além de hospitais, o grupo se apresenta também em orfanatos, asilos, Unidades Básicas de Saúde, APAEs e em escolas de bairros periféricos de várias cidades brasileiras. Este trabalho carinhoso é feito de forma voluntária, sem nenhum tipo de custo para quem assiste as apresentações e nem para as instituições. Como todos os integrantes do elenco vivem de arte (clown ou música), quando não estão atuando como voluntários, desenvolvem projetos de espetáculos de palco em empresas privadas e oficinas.

Lei Federal de Incentivo à Cultura

Sobre a Lei

A Lei Federal de Incentivo à Cultura, antiga Lei Rouanet, é o principal mecanismo de apoio à cultura do Brasil.

Nos 27 anos de existência da Lei, foram injetados R$ 49,78 bilhões na economia brasileira por meio da realização de 53.368 projetos culturais, de acordo com estudo realizado em dezembro de 2018, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa de retorno é de R$ 1,59, o que significa que a cada real destinado a um projeto cultural, R$1,59 retornam para a sociedade por meio da movimentação financeira de uma extensa cadeia produtiva.

Como direcionar seu IR Pessoa Física ou Jurídica

Qualquer pessoa física que tenha imposto de renda a declarar ou empresa tributada pelo lucro real pode financiar projetos culturais utilizando o mecanismo da Lei de Incentivo à Cultura, sendo que as pessoas físicas podem direcionar 6% do imposto devido e as jurídicas, 4%.

Há duas formas de financiar um projeto: por meio de doação ou de patrocínio. A doação é um repasse sem retorno de imagem para o incentivador. É um apoio que resulta apenas da decisão de aplicar parcela do imposto de renda devido em um projeto cultural para o qual a pessoa ou empresa queira contribuir. O patrocínio é um repasse com retorno de imagem. Além de viabilizar a realização de um projeto, o patrocinador se beneficia de estratégias de comunicação, assinando o patrocínio com sua marca e inserindo sua imagem associada ao projeto selecionado, conforme Artigo 23, da Lei 8.313/91. A doação ou patrocínio não pode ser feita a projeto de pessoa ou instituição vinculada ao apoiador, de acordo com o Artigo 27 da Lei 8.313/91.

Ao escolher o projeto que será apoiado, o apoiador precisa estar atento às faixas de renúncia.

Os projetos podem ser enquadrados no Artigo 18 da Lei 8.313/91, que permite restituição de 100% do valor financiado dentro do limite de 6% ou 4% do imposto devido, ou podem estar enquadrados no Artigo 26 da Lei e, neste caso, o percentual de restituição vai variar conforme a natureza do apoio (doação ou patrocínio) e o tipo de pessoa (física ou jurídica).

A Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania é a responsável por receber e aprovar os projetos culturais. A partir daí, pessoas físicas e empresas escolhem os projetos que querem patrocinar, recebendo em troca a possibilidade de abatimento de parte ou da totalidade do valor patrocinado do Imposto de Renda a pagar. Para pessoas físicas, o limite da dedução é de 6% do IR a pagar; para pessoas jurídicas, 4%.

Nas páginas das causas sociais eles ensinam como você direciona seu IR para a causa deles, converse também com seu contador.

Que tal fazer uma boa ação, apoiar uma causa? Pesquise causas sociais na sua cidade, apoie você também, não custa nada!


E aí, gostou da publicação?

Conte nos comentários, a sua empresa Apoia alguma Ação Social? E Você?

Se você ainda não faz parte da Comunidade de Finanças, não perca tempo e vem participar com a gente!


Texto inspiração:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_Palha%C3%A7o

http://leideincentivoacultura.cultura.gov.br/como-funciona/#patrocinio

https://www.stoodi.com.br/blog/historia/acao-social-o-que-e/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Palha%C3%A7o

https://www.hypeness.com.br/2016/10/projeto-risologistas-leva-alegria-e-olhar-humano-a-hospitais/ 

avatar MARCELA CAROLINE LAZZERI
Marcela Caroline Lazzeri
Secretria Executiva, MBA em Controladoria e Gesto Financeira.Assistente Administrativo e Apoio a Projetos no escritrio de Toledo - Sebrae/PR.favorite_outline Seguir Perfil
capa Finanças e Tributos
Finanças e Tributos
people 4516 participantes
Comunidade digital que reune informações e conteúdos sobre FINANÇAS e TRIBUTOS diariamente. Participe!
fixo
Em alta
Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
12 mai. 2020Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
12 mai. 2020Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?