Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightCONSTRUTECH - Tecnologias da construção civil e inovações para o mercado imobiliário.keyboard_arrow_rightArtigos

Guia de Tendências 2022-23: inspire-se com esses negócios de construção civil!

avatar LUCAS BULGARELLI MALDONADO
Lucas Bulgarelli Maldonadofavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt1
Guia de Tendências 2022-23: inspire-se com esses negócios de construção civil!
1 pessoa curtiu esse artigo
Criado em 04 MAI. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase



Quase dois anos após o primeiro lockdown no Brasil, ao que tudo indica, aqui estamos lidando com uma nova fase, talvez uma reta final ou talvez uma etapa de adaptação para um novo cenário.

Sem dúvidas este é o momento para fazermos um balanço geral: 

  • O que mudou de lá para cá? 

  • Como está o cenário atual? 

  • O que já ficou ultrapassado? 

  • E afinal, quais as tendências: o que esperar do mercado e dos consumidores nesse próximo ano?


Tal qual em outros setores, a construção civil foi bastante impactada pelo coronavírus. A partir das medidas de distanciamento social, o mundo "físico" e o cotidiano da população viraram de ponta-cabeça, precisando se adaptar a novos formatos. Comércio, lazer e hábitos de consumo também foram revisados, sendo repensados a partir do acesso das próprias casas das pessoas. E talvez, justamente por isso, nem tudo tenha sido negativo para o setor: de acordo com a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) o PIB da construção civil subiu de 2,5% para 4% em 2021.


A seguir, você confere alguns casos de negócios nacionais e internacionais que souberam aproveitar muito bem este momento ou já estavam preparados para lidar com os desafios trazidos durante o período de pandemia. Suas retomadas ao "novo normal" agora certamente acontecem de um lugar muito mais consolidado no mercado, servindo como referência e inspiração para outros negócios.


Atentar-se às novas rotinas e estilos de vida da população pode ser um bom ponto de partida. O trabalho e os estudos remotos, por exemplo, foram algumas das principais mudanças no dia-a-dia, tornando necessário que casas e demais lugares frequentados pelo público adaptassem seus espaços (e tecnologias) para atender à essa nova demanda. 


Pensando nisso, o estúdio Boano Primontas de Londres (Reino Unido) criou escritórios residenciais pré-fabricados, para serem montados em casa. 'My Room in the Garden' (ou "Meu Quarto no Jardim", em tradução livre) como foi batizado o modelo, é um cômodo modular projetado para ser um escritório externo criado para pessoas que passaram a trabalhar em casa regularmente. Além da vantagem da privacidade para o cliente, o produto ainda dispensa a necessidade de obras em casa, livrando-o de transtornos e custos mais elevados.


Mas não só os ambientes residenciais precisaram ser adaptados. Para quem não conseguia ter um espaço adequado em casa, nem tinha como adquirir um escritório modular, a rede de hotéis Hilton criou o 'Workspaces by Hilton', um projeto que adaptou quartos em diversos dos hotéis da rede pelos EUA e pela Europa, com foco em receber pessoas que buscavam um local melhor preparado para trabalhar remotamente. 

Com móveis ergonômicos, boa internet e privacidade garantida, a proposta era que os quartos oferecessem recursos de qualidade e um ambiente sem distrações para os clientes. Para aumentar a comodidade, o pacote ainda incluía uma refeição completa (café da manhã, almoço ou janta) e variedade de chás e cafés de cortesia.

Às vezes, observar a si mesmo enquanto cliente e notar as carências do mercado também pode ser uma ótima ideia para inovar. Em 2015, Guto Winkler teve o vidro de sua cozinha quebrado após uma chuva de granizo, e sentiu dificuldades para encontrar um profissional de sua cidade que fizesse o reparo. Após o episódio, teve a ideia de criar um serviço para resolver o problema que ele e tantos outros clientes país afora, frequentemente, se deparam. Se uniu no ano seguinte a Ivan Sanches e, juntos, os sócios criaram o aplicativo Mãos à Obra, que tem como objetivo conectar clientes e profissionais capacitados próximos entre si. O aplicativo otimiza o tempo do prestador de serviço e do cliente e traz conforto e segurança na hora de uma contratação ou compra de produto, disse Guto em depoimento ao blog Startse

O acesso à plataforma, que já está em operação desde 2017, é gratuito para clientes finais, enquanto para os profissionais que desejam disponibilizar seus serviços é necessário pagar uma assinatura.

Sustentabilidade é outro fator-chave que está muito presente na mentalidade do público atual e, mais que isso, na mentalidade de algumas das empresas que mais têm se destacado no mercado. 


Em pouco tempo, aliás, ela deixará de ser um diferencial e se tornará um dos pilares para que os negócios possam atuar legalmente. E esta pode ser uma adaptação não apenas benéfica para o planeta, mas também para as contas das empresas. Em depoimento à Casa Cor, o diretor da Inovatech Engenharia, Luiz Henrique Ferreira, declarou que as construções sustentáveis são mais baratas, geram menos manutenção e são construídas mais rapidamente, com maior planejamento e com melhores níveis de conforto para os usuários.


 

 

Na Holanda, o estúdio Fiction Factory criou a Wikkelhouse, uma casa sustentável feita majoritariamente de papelão, que pode ser construída em apenas um dia. Durável e adaptável, a casa promete ter vida útil de aproximadamente 50 anos e suportar qualquer ambiente praia, beira de rio, interior de barco, lage, entre outros. O material que origina a Wikkelhouse é feito de 24 camadas de papelão acopladas a um material de alta resistência, formando blocos de 1,2 metros de largura. 

 

Enquanto as paredes externas são revestidas de madeira, para deixar a estrutura mais sólida, no interior o revestimento pode ser personalizado. Com esses acabamentos, a casa garante sua resistência a chuvas, frio e outras condições naturais. E a empresa também assegura que as árvores utilizadas no processo de construção são sempre substituídas por novas.

 

O upcycling é outra tendência sustentável que também está ajudando a construção civil a se reinventar. O estúdio East Sussex BBM ergueu no Reino Unido o que seria a primeira construção feita a partir de "lixo". Concebido em parceria com alunos da graduação, a Waste House (que pode ser traduzida como "Casa de Lixo") foi construída para funcionar como um laboratório de pesquisa e oficina de design da Faculdade de Artes da Universidade Brighton. A fundação foi feita com escória granulada de alto forno (material de baixo impacto ambiental), e está apoiada em uma estrutura de madeira compensada. Já as colunas e vigas são de madeiras de demolição, retiradas de uma casa destruída. Nas paredes, aproximadamente 20 mil escovas de dente, 4 mil capas de DVD, 2 mil disquetes e 2 toneladas de jeans foram utilizados como isolantes, e na parte externa da casa cerca de 2 mil telhas de carpetes serviram de revestimento para conter adversidades climáticas.

 

Mas, a inovação pela sustentabilidade não se limita a paredes e fundações das construções. A Cebrace, maior produtora de vidros e espelhos da América do Sul, desenvolveu um vidro com proteção solar para residências, capaz de barrar até 70% do calor e 99,6% dos raios ultravioleta. 

 

Se utilizado em janelas, por exemplo, esses vidros ajudam a resfriar os imóveis e podem levar os moradores a reduzir o consumo de energia elétrica consideravelmente. Já a multinacional holandesa Hunter Douglas começou a utilizar plástico coletado dos oceanos para criar a linha de cortinas SeaTex. O material agora serve como matéria-prima para a produção das fibras pela startup parceira Bionic, de Nova York, que desenvolve tecnologias de processamento de plástico para a fabricação de fios para diversos fins.

 

A biomimética é outra técnica de destaque que facilmente se alia à sustentabilidade. Inspirada em aspectos da natureza, a técnica tem o objetivo de tentar recriar os processos naturais inteligentes na indústria, sendo a construção civil um dos setores que está sabendo utilizá-la muito bem. O Edifício Eastgate, no Zimbábue, construiu um sistema de ventilação baseado nos mesmos padrões utilizados por cupins, com uma estrutura que utiliza 90% menos energia e já economizou mais de 3 milhões de dólares. No Canadá, a Whalepower produz turbinas eólicas mais silenciosas e 20% mais eficientes, baseadas em barbatanas de baleias.

 

Nos casos acima, vimos iniciativas muito interessantes de negócios que souberam se reinventar mesmo em tempos tão difíceis. Perceber novos hábitos, fazer parcerias e priorizar a sustentabilidade foram os termos-chave para eles, e também características cruciais para que pudessem continuar ou mesmo nascer neste período.

Mas não pense que essas são as únicas possibilidades para a construção civil - não mesmo! Há muito mais ideias e insights que você pode encontrar para o seu negócio no nosso novo Guia de Tendências do Sebrae 2022-23. Não deixe de conferir!


_

Neste artigo, você visualizou exemplos relacionados às seguintes tendências: 

A coleção completa de tendências 2022-23 está disponível no site de Tendências do Sebrae.

avatar LUCAS BULGARELLI MALDONADO
Lucas Bulgarelli Maldonado
favorite_outline Seguir Perfil
capa CONSTRUTECH - Tecnologias da construção civil e inovações para o mercado imobiliário.
CONSTRUTECH - Tecnologias da construção civil e inovações para o mercado imobiliário.
people 672 participantes
A proposta de valor da comunidade é promover a disseminação de conteúdos inovadores que impulsionem os participantes do ecossistema, na ampliação de conhecimentos, conexões, modelos de negócios, e o acesso a diferentes mercados relacionados as novas tecnologias do setor construção civil e mercado imobiliário.
fixo
Em alta
Metodologias Ágeis na Construção
17 ago. 2020Metodologias Ágeis na Construção
Construtechs: entenda como startups de engenharia civil podem moldar o futuro da construção
17 jun. 2022Construtechs: entenda como startups de engenharia civil podem moldar o futuro da construção