Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightVarejo keyboard_arrow_rightArtigos

Estratégias para aumentar as vendas

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Limafavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt
Estratégias para aumentar as vendas
Criado em 01 FEV. 2021
text_decreaseformat_color_texttext_increase

Muitas empresas estão procurando soluções para aumentar as vendas de seus produtos ou serviços. Se você é um dos muitos empreendedores que procuram a melhor maneira de desenvolver suas estratégias de vendas, continue acompanhando nosso artigo!

Às vezes, pode parecer que implementar novas estratégias em seu modelo de negócios estabelecido é difícil, e você já pode estar pensando que existem algumas barreiras:

  • Tenho que implementar muitas mudanças e isso exigirá muito tempo;
  • Para fazer mais vendas, preciso economizar ou gastar dinheiro do meu próprio bolso;
  • Ou você simplesmente pode não saber por onde começar quando se trata de aumentar o número de vendas.

E se houvesse algumas estratégias simples que você pudesse colocar em prática rapidamente que aumentassem significativamente suas vendas? Bem, existem e estamos aqui para explicar exatamente como você pode fazer isso.

Tudo começa com a compreensão dos desejos de seus clientes. Para fazer com que mais pessoas finalizem suas compras, é importante entender como os clientes em potencial pensam e se comportam ao tomarem suas decisões.

Você poderá posicionar seus produtos, serviços e a sua marca para atrair compradores, uma vez que você está ciente de como um cliente potencial pensa. Por sua vez, isso ajuda você a aumentar os índices de satisfação e suas vendas, bem como melhorar outras métricas de seu negócio.

 

Reconheça as necessidades de seus clientes

Para acionar o processo de compra, um potencial cliente deve perceber que precisa do seu produto. Existem dois tipos de gatilhos que desempenham um papel no processo de compra, eles podem ser internos ou externos.

O gatilho interno está relacionado às necessidades básicas. Por exemplo, se você estiver com fome, perceberá rapidamente que precisa de comida. Já o gatilho externo é relacionado a um estímulo. O cliente que está passando por uma padaria, sente o cheiro dos pães que acabaram de sair do forno. Isso acionaria uma resposta fazendo com que ele começasse a tomar uma decisão: a de compra.

Nesta primeira etapa do processo, o comportamento do cliente estará sujeito aos seus desejos ou necessidades.

Eles serão mais propensos a agir rapidamente se estiverem com fome e decidirem comprar a comida no estabelecimento mais próximo. No entanto, se tiverem planos para mais tarde, podem optar por pesquisar mais sobre a compra, optando por algumas outras opções.

Hoje, muitas empresas buscam acionar a necessidade do cliente ou focar no que o cliente deseja. Esses princípios podem ser aplicados a qualquer empresa. Por exemplo, nas compras online, muitas lojas e sites de e-commerce usam estratégias de segmentação usando palavras-chave específicas para as necessidades ou desejos de seus clientes. Há muitos exemplos disso. Você pode digitar que deseja comprar um carro em um mecanismo de pesquisa e logo verá links e anúncios relevantes para diferentes marcas de carros ou concessionárias. 

 

Avaliação de opções

Não importa o que você esteja vendendo, seja produto físico ou um serviço, simplesmente mostrar sua empresa aos clientes, muitas vezes, não produz resultados suficientes. Os potenciais compradores, geralmente, procuram alternativas e pesam suas opções para descobrir qual solução é melhor e oferece mais benefícios, com o melhor preço.

Nesta parte do processo, seus clientes em potencial estão concentrados em comparar o custo e os benefícios do produto no qual estão interessados. Seu comportamento será amplamente baseado em quão grandiosa é a decisão que estão tomando.

Digamos que alguém esteja comprando uma barra de chocolate no caixa da loja. Ele pode simplesmente optar por comprar aquele que tem o sabor mais atraente. No entanto, se a mesma pessoa estiver procurando comprar um equipamento eletrônico, ela provavelmente irá fazer uma comparação das características, os preços e as avaliações  feitas sobre o produto.

Definir os preços mais baixos nem sempre funciona e às vezes pode prejudicar o seu negócio. Por exemplo, se você trabalha com joias de luxo. Se você está vendendo os produtos por um preço mais baixo, os clientes podem ter a sensação de que você está vendendo joias falsificadas. Construir com base na autenticidade, desenvolver sua marca e garantir que o frete seja bem administrado pode contribuir para que o cliente tenha certeza de que está comprando um produto de qualidade.

 

A decisão de compra

Este é o momento em que o potencial cliente está pronto para fazer uma compra. Mesmo que o cliente tenha concluído sua avaliação pessoal, sua decisão de compra ainda pode ser interrompida. Uma influência externa pode causar um feedback negativo, e o consumidor pode decidir não comprar seu produto ou serviço.

Também pode acontecer que um cliente tenha dúvidas, visto que o seu processo de avaliação ainda não está concluído, até que o pagamento seja feito, e pode continuar mesmo depois de ter feito uma compra, alguns podem até decidir devolver o produto ou pedir um reembolso.

Se um cliente decidir concluir a compra e não duvidar da decisão, ainda existem circunstâncias que podem interferir neste processo. Por exemplo, seu cartão de crédito pode ser recusado. Ou se eles não conseguirem descobrir como usar seu carrinho de comércio eletrônico ou página de checkout? Se a página for muito complicada de usar, ou se levar muito tempo para preencher todos os detalhes, ele pode desistir rapidamente e abandonar o carrinho.

Para reduzir estes riscos, muitos varejistas online oferecem checkouts intuitivos e fáceis de usar, que permitem que os clientes realizem suas compras rapidamente.

Como regra geral, quanto mais tempo leva para um cliente em potencial concluir o processo, é mais provável que ele hesite em concluir a compra, ou ele pode encontrar uma influência negativa que pode interromper a sua venda. Além disso, ofereça várias formas de pagamento, isso facilitará o processo de compra!

Dica bônus: comportamento do cliente após a compra ter sido concluída

https://media.giphy.com/media/aMzFQ7nULrguA/giphy.gif

Você pode pensar que, uma vez que o cliente comprou seu produto, todo o processo está concluído. Agora que ele tem o produto em mãos, ou está utilizando o serviço, ele ainda continuará avaliando e comparando com suas expectativas.

Então, ainda não acabou, pois isso vai influenciar seu comportamento futuro. Os mercados podem ser muito competitivos. Se você não entende como seus clientes pensam e se comportam, terá dificuldade em aumentar suas vendas.  Por isso, você precisa se esforçar para estar no topo, permitindo que os clientes continuem fazendo negócios com você!

 

Precisa de ajuda? Fale com o Sebrae: 0800 570 0800 se preferir, deixe um comentário e te responderemos.

avatar BIANCA BECKER DE LIMA
Bianca Becker De Lima
Sou Estrategista Digital, Produtora de conteúdo e Coordenadora da Comunidade Sebrae. Formada em Administração de Empresas, pós graduada em Marketing pela PUC/PR, tenho especializações em Marketing Digital. Apaixonada pelo vídeomarketing, também ensino pessoas a gravarem vídeos e atuarem no Instagram. Trabalho no Sebrae/PR há 10 anos :)favorite_outline Seguir Perfil
capa Varejo
Varejo
people 3860 participantes
Um local criado para oferecer ao EMPRESÁRIO DO VAREJO conteúdos relevantes e atualizados, tendências, cursos e interação com atores do ecossistema, gerando conhecimento e networking.
fixo
Em alta
Canvas de Vendas: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa
09 nov. 2021Canvas de Vendas: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa
Como a automação industrial impacta nossas vidas
09 ago. 2021Como a automação industrial impacta nossas vidas
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?