Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightFinanças e Tributoskeyboard_arrow_rightArtigos

Entenda a Tributação de Correspondente Bancário no Simples Nacional!

avatar CLAUDIO DE ATAIDES MERCER NOCE
Claudio De Ataides Mercer Nocefavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt2
Entenda a Tributação de Correspondente Bancário no Simples Nacional!
2 pessoas curtiram esse artigo
Criado em 30 MAI. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase

O Correspondente Bancário engloba uma série de atividades, quais podemos segregar em dois grupos para fins de Tributação no Simples Nacional:

01 COM INTERMEDIAÇÃO, tais como:
  • a) Recepção e encaminhamento de propostas de abertura de contas de depósitos à vista, a prazo e de poupança mantidas pela instituição contratante;
  • b) Recepção e encaminhamento de propostas referentes a operações de crédito e de arrendamento mercantil de concessão da instituição contratante;
  • c) Recepção e encaminhamento de propostas de fornecimento de cartões de crédito de responsabilidade da instituição contratante.
02 SEM INTERMEDIAÇÃO, tais como:
  • a) Realização de recebimentos, pagamentos e transferências eletrônicas;
  • b) recebimentos e pagamentos de qualquer natureza, e outras atividades decorrentes da execução de contratos e convênios de prestação de serviços mantidos pela instituição contratante com terceiros;
  • c) execução ativa e passiva de ordens de pagamento cursadas por intermédio da instituição contratante por solicitação de clientes e usuários;
  • d) recebimentos e pagamentos relacionados a letras de câmbio de aceite da instituição contratante;
  • e) realização de operações de câmbio de responsabilidade da instituição contratante.

Dentre os grupos apresentados, percebemos que no primeiro ocorre a INTERMEDIAÇÃO, e assim como todas as intermediações de negócios deverá ser tributada pelo ANEXO V do Simples Nacional, qual tem sua alíquota inicial de 15,5%.

Já no segundo grupo, não ocorre a intermediação, assim, tributando-se no ANEXO III do Simples Nacional, que possui uma alíquota inicial de 6%.

Acesse os Anexos do Simples Nacional clicando AQUI!

Se no seu caso incorreu no grupo um, com alíquota majorada, não se desespere, ainda existe uma opção de redução. Esta redução é conhecida como FATOR R, que basicamente é a razão matemática entre o seu faturamento e a folha de pagamento, assim, se a Folha de Pagamento corresponder em pelo menos 28% do Faturamento da Empresa, poderá Tributar pelo Anexo III do Simples Nacional.

Mas Atenção! Para calcular o FATOR R, deverá utilizar os valores dos últimos 12 meses.

Fonte pesquisada: Lei Complementar nº 123/2006; Resolução CGSN nº 140/2018; Solução de Consulta COSIT nº 210/2014; Solução de Consulta COSIT nº 41/2018.

avatar CLAUDIO DE ATAIDES MERCER NOCE
Claudio De Ataides Mercer Noce
Experiência profissional de mais de 20 anos na área Contábil, Tributária e Trabalhista, com sólido conhecimento em legalização de empresas, planejamento tributário em pequenas e médias empresas, e consultoria tributária (interna e externa). Diplomado em Ciências Contábeis pela FESP (2005), Especialista em Gerência contábil, auditoria e controladoria pelo IBPEX (2006), Especialista em Direito tributário pelo IBPEX (2007), e com MBA em Gestão Empresarial pelo IBPEX (2007). Atualmente proprietário do escritório CONTABILIDADE NOCE.favorite_outline Seguir Perfil
capa Finanças e Tributos
Finanças e Tributos
people 4587 participantes
Comunidade digital que reune informações e conteúdos sobre FINANÇAS e TRIBUTOS diariamente. Participe!
fixo
Em alta
Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
12 mai. 2020Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.
12 mai. 2020Tire dúvidas sobre: Empréstimo, Financiamento, Crédito e Fampe.