Logo Comunidade Sebrae
Home
bedtime
Imagen da logo do Sebrae
icone menu de opções
Iníciokeyboard_arrow_rightNovos Negócioskeyboard_arrow_rightArtigos

10 passos para abrir uma empresa

avatar MARTA APARECIDA CARVALHO
Marta Aparecida Carvalhofavorite_outline Seguir perfil
fixo
thumb_up_alt3
10 passos para abrir uma empresa
3 pessoas curtiram esse artigo
Criado em 18 JAN. 2022
text_decreaseformat_color_texttext_increase

É comum que algumas pessoas tenham boas ideias para um empreendimento promissor, mas não sabem como fazer para abrir uma empresa. O preparo que possibilita dar vida à essa ideia pode ser uma tarefa um pouco penosa, que exige paciência e uma pitada de inovação; mas acredite, não há recompensa maior do que ver sua empresa ganhar forma e colher resultados positivos.

Quer tirar sua empresa do papel e vê-la caminhar sozinha? Listamos uma sequência de ações que vão te auxiliar na transformação do seu sonho em realidade. 

Acompanhe os 10 passos para abrir uma empresa e fazer bons negócios!

1.  Anote tudo

O primeiro passo da jornada é um pouco introspectivo. Cabe ao idealizador do negócio uma reflexão:

Você tem a habilidade necessária para desenvolver o produto ou serviço que quer vender e tem prazer em trabalhar com este ramo de negócio? Lembre-se que ter afinidade com o que faz é crucial para a sobrevivência da ideia, afinal, a liderança é sua.

Dito isso, faça um brainstorming e anote todo o possível para estruturar suas ideias. 

__

brainstorming

s.m. (inglês) Tempestade de ideias.

__

Passá-las para o papel facilita muito a visualização do que você realmente espera e os possíveis planos de ação. Essas ideias vão te ajudar bastante no passo 5, que trataremos a seguir.

Uma boa opção para dar mais clareza sobre o negócio é a participação em eventos. Escolha eventos que possam expandir seus conhecimentos sobre o produto, mercado, concorrência, ou mesmo eventos específicos para quem quer abrir uma empresa. Tudo pode agregar valor para a sua tempestade de ideias.

2.  Conheça o cenário e prepare o terreno

Para saber onde está pisando, mapeie as variáveis que impactam um negócio. 

Como exemplos destas variáveis, temos:

  • Público-alvo. 
  • Concorrência.
  • Fornecedores.
  • Dinâmica do mercado (padrões de consumo do setor, taxas de crescimento e retração). 

Esse levantamento de dados previne surpresas desagradáveis na medida em que você conhece as variáveis relevantes e pode antecipar seus movimentos. Portanto, analise tanto quanto puder o universo do ramo em que vai criar sua empresa e tenha uma visão macro que possibilite tirar vantagens.

Concordamos que o objetivo é sair do óbvio e se destacar, não é mesmo?!

Com as informações em mãos, vamos organizá-las, seguindo para o próximo passo.

3.  Desenvolvendo um Plano de Negócios organização é essencial

O Plano de Negócios é um instrumento importante para o início de um negócio. Ele direciona as ações para as metas pré-estabelecidas e pode influenciar diretamente na saúde financeira do empreendimento.

O Plano de Negócios estrutura a lógica de funcionamento da empresa relacionando:

  • Público;
  • Produto / serviço;
  • Estrutura física;
  • Metas e objetivos;
  • Aspectos financeiros;
  • Marketing e vendas.

Por meio do Plano de Negócios, pode-se avaliar a capacidade de geração de lucro da empresa, seus custos, preços, fluxo de caixa, e demais números envolvidos no processo. Para tanto, inclua no Plano todos os valores relevantes para o negócio. Exemplos: 

  • Custos fixos;
  • Custos variáveis;
  • Fluxo de caixa necessário;
  • Estimativa de progressão dos custos x lucro ao longo do tempo;
  • Retorno de investimento esperado e prazo.

Quando falamos em Plano de Negócios, vários tipos de documentos podem vir à sua cabeça, em forma de texto, gráfico ou planilha. Independente do tipo de documento, o importante é a estruturação e relevância das informações. O documento ideal é aquele que contém os dados essenciais para o seu negócio e permite o direcionamento de ações. Nada mais.

Antes de abrir uma empresa, portanto, desenvolva um bom Plano de Negócios que registre os detalhes do empreendimento e, a partir dele, visualize seus próximos passos. Quanto mais detalhado for, maior sua previsibilidade e propensão a bons negócios.

Com o Plano montado, vamos dar início à abertura da empresa.

4.  Atenção às questões legais

É importante que o empreendedor siga os aspectos legais de abertura da empresa e alinhe as questões burocráticas (ok, talvez seja um pouco entediante, mas esse passo não pode ser menosprezado). Essas questões definem as obrigações da empresa em pontos como impostos e área trabalhista, bem como direitos e deveres dos empresários por meio do Contrato Social.

Assim, entre outras ações:

  • Verifique o tipo da empresa: Ltda, Eireli, Empresa Individual, MEI, SS, SA;
  • Defina sua atividade: indústria, varejo, atacado, serviços;
  • Faça a pesquisa do nome empresarial e registro na Junta Comercial;
  • Verifique se a atividade pode ser exercida no endereço escolhido, através de pesquisa na Prefeitura, e obtenha o Alvará de Localização e Funcionamento;
  • Obtenha a inscrição estadual e registro em órgãos reguladores, se for o caso.

Para te ajudar com os itens relacionados acima, há uma dupla que não pode ser esquecida: o advogado e o contador

O contador deve te auxiliar nos aspectos legais de abertura da empresa, orientando sobre os benefícios e obrigações envolvidos, e será responsável por boa parte do êxito financeiro da organização

Já o advogado irá atuar tanto em questões gerais como no caso concreto, podendo auxiliar a prevenir ações indesejadas. Não abra mão da segurança jurídica, em hipótese alguma. 

A escolha do contador e do advogado deve ser feita de forma cuidadosa, considerando que estes profissionais irão te acompanhar durante toda a trajetória da empresa. Confiança e responsabilidade são palavras de ordem nesta relação.

Com a contabilidade e área jurídica em dia, você:

  • Mantém a saúde contábil da empresa;
  • Mantém seu negócio de acordo com a norma vigente;
  • Realiza seu planejamento tributário e torna-se mais competitivo.
E agora, com o perdão da repetição: passamos da área legal para a parte legal.

5.  Defina sua Cultura Organizacional missão, visão e valores

A Cultura de sua empresa direciona todos os colaboradores para uma mesma visão e os conduz pelo mesmo caminho. Essa identidade da empresa impacta na maneira como ela se posiciona no mercado, nos processos internos e em sua comunicação. Pode não parecer, mas isso vale, especialmente, para quem ainda vai abrir uma empresa, seja qual for o tamanho.

Por isso, defina sua cultura, respondendo às seguintes questões:

Missão: qual a razão de ser da empresa, para que ela existe?

Visão: onde ela quer chegar, qual é o seu ideal?

Valores: quais valores melhor representam a empresa e são mais relevantes para a missão e a visão?

A partir destas respostas, o farol que guiará seu barco será ligado.

6.  Escolha e desenvolva a sua equipe

Com a empresa legalizada e Cultura definida, você precisa tratar dos recursos que irão movimentá-la, ou seja, seus colaboradores!

A equipe é um dos mais importantes recursos da empresa - se não o mais importante. A partir dela, a organização entra em funcionamento; por isso, é muito importante trazer pessoas com vontade de trabalhar e que se comprometam com a cultura da empresa e suas metas.

Antes de buscar as pessoas, defina com clareza quais funções são necessárias. A partir disso, busque os profissionais adequados para cada função.

Para encontrar as pessoas certas, você pode pedir indicações de familiares e conhecidos, ou fazer pesquisa de profissionais na internet, por exemplo. Felizmente, a rede traz muitas possibilidades de pesquisa. A rede social LinkedIn é uma boa opção para buscar profissionais. No LinkedIn, é possível visualizar a experiência profissional e habilidades da pessoa, bem como entrar em contato com ela diretamente.

Ainda, caso queira e possa investir, pode-se solicitar currículos para empresas de Recursos Humanos. Importante descrever com minúcia todas as habilidades esperadas do profissional, para que eles possam acertar na escolha.

Com a equipe formada, preocupe-se em criar um ambiente de trabalho favorável e manter este clima de bem-estar, permeado pela Cultura da empresa. Lembre-se que um ambiente de trabalho favorável não é necessariamente sinônimo de super equipamentos e demais bens materiais (embora eles sejam importantes). Ele é construído com base nos valores e respeito mútuo entre as pessoas.

Com a equipe montada e motivada, vamos agora falar de outro público bastante relevante.

7.  Conheça seu cliente

O passo que possibilita à empresa conhecer e acertar na comunicação com o cliente é a criação de sua persona

Persona é a composição de uma pessoa fictícia, com base em dados reais de um público-alvo.

A persona apresenta as principais características do cliente foco. Através destas informações, podemos concluir qual a melhor abordagem para atingi-lo. Toda a comunicação externa da empresa e suas estratégias dependem disso. Por isso, pegue todas as informações que você coletou nos passos 1, 2 e 3 e monte suas personas.

Conhecer o comportamento e preferências das personas é super vantajoso. O exercício de escutar e entender o cliente pode indicar a relevância de seu produto, ou pode ser um fator de adaptação deste produto. Não há problema em adequá-lo. Sobrevive quem se adapta às mudanças, lembre-se disso.

Com a persona bem definida, podemos passar para o próximo passo: a construção da sua marca!

8.  Registre sua Marca

A marca é o rosto da sua empresa perante o cliente e todos os demais públicos. Considerando sua importância, é essencial que este rosto, defina bem a sua organização e seja apenas seu!

Deixe-me explicar: imagine que sua empresa escolhe o nome da marca e faz todo o trabalho de desenvolvimento da logo. Tempo e recursos investidos, mas o resultado final ficou muito bom. Devemos ficar felizes e satisfeitos? Depende. Pode ser que outra empresa utilize o mesmo nome - ou nome similar - ao seu e você não possa utilizá-lo. Neste caso, todo o trabalho terá sido em vão.

Assim, antes de iniciar o trabalho de construção da marca, você precisa preocupar-com o registro.

O Registro da Marca pode ser feito por empresa terceirizada ou por conta própria, no site do INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Para fazer o registro, é bem importante realizar a pesquisa de anterioridade, que verifica se já existe nome idêntico ou similar ao seu, na classe do seu produto ou serviço. 

A partir do Registro, pode se concentrar na divulgação da sua marca!

9. Apareça para o Mundo

Chega a hora de colocar a sua empresa em evidência. De nada adianta ter um produto ou serviço para venda se ninguém sabe disso.

Por meio de um trabalho conjunto de marketing e vendas, é preciso definir os canais de venda e colocar seu produto em destaque neles. Ainda, na era do Inbound Marketing, não basta ir até o consumidor e apresentar o produto, você precisa que o consumidor venha até você. E a tendência é que ele só virá se sentir uma conexão com a sua empresa e seus valores.

Para atingir os consumidores atuais, você precisa:

  • Desenvolver uma Identidade visual alinhada com a sua marca e Cultura;
  • Ter um site responsivo e alinhado com práticas de SEO;
  • Ter presença em redes sociais importantes para a persona
  • Disponibilizar conteúdo relevante;
  • Promover o engajamento dos clientes com a marca.

Acabou? Não!

Existem inúmeras ações que podem trazer visibilidade e vendas para a sua empresa. Neste sentido, não economize no planejamento de marketing e esteja atento ao retorno do investimento.

Para obter resultados favoráveis, um bom trabalho de marketing e vendas é fundamental.

Marketing é investimento. Venda é satisfação.

10. Desenvolva Relacionamentos

O relacionamento é condição sine qua non para a construção de uma empresa sólida.

__

condição sine qua non

loc.adj. (latim) Condição sem a qual não se pode fazer algo.

__

Desde Aristóteles, já se diz que o homem só se realiza plenamente enquanto ser social.

O nosso passo 10 traz a palavra de ordem para um empreendimento de sucesso: relacionamento.

Relacionamento com os colaboradores da empresa, com clientes, fornecedores, comunidade, demais públicos de interesse. 

Para cada um destes públicos, você precisa desenvolver uma estratégia que resulte em uma parceria ganha-ganha. Esta frase, embora clichê na teoria, é trabalhosa para ser obtida na prática. Em função disso, é comum observar trocas que são mais vantajosas para um dos lados.

Para desenvolver parcerias ganha-ganha, você precisa fazer a sua parte.

Alguns pontos importantes para isso são: você precisa saber o que este público espera de você, quais expectativas você criou e precisa cumprir, o que é valor para ele e quais os pontos sensíveis da relação.

Surpreenda, cumpra suas obrigações e pague suas dívidas como se elas tivessem sido assinadas por Deus. 

No quesito relacionamento, precisamos citar também a importância do networking.

Networking significa desenvolver uma rede de contatos para a troca de informações e experiência.

Esta rede pode ser usada para outras finalidades, como fortalecer a imagem profissional e encontrar oportunidades de negócios. 

Para formar e desenvolver sua rede de contatos, participe de grupos formados por empresários e conviva com pessoas que possam agregar valor às suas ideias e experimentos. Compartilhe as suas ideias, inspire confiança e esteja atento aos principais debates.

Legal. Chegamos até aqui com vários dados para processar.

Vamos recapitular: Brainstorming, Coleta de Dados, Plano de Negócios, Aspectos Legais, Cultura Organizacional, Equipe, Cliente, Marca, Visibilidade e Relacionamento.

Para avançarmos um pouco mais no assunto de abertura de empresa, vamos debater sobre um último ponto.

Passo bônus: Preciso buscar investimento?

No passo 3, você montou seu Plano de Negócios e definiu os valores necessários para iniciar a sua empresa. Dependendo dos objetivos e metas a que se propôs, um investimento pode se fazer necessário para concretizar ou acelerar o seu sonho.

Para buscar investidores, você precisa apresentar um plano de negócios consistente. Dificilmente alguém irá investir seu dinheiro e tempo sem vislumbrar um retorno deste investimento ou sem uma garantia. 

Não, investidores não fazem caridade, e sim, esperam um retorno.

Caso seja necessário recorrer ao capital externo, existem algumas opções:

Sócio investidor: pessoa ou empresa que irá ingressar na sociedade e participar do gerenciamento. Normalmente entra com a maior parte do capital. Caso você opte por um sócio investidor, escolha muito bem quem será, pois ele acompanhará sua gestão e pode impactar nela, de forma positiva ou negativa. 

Bancos: solicitar empréstimo em banco pode ser um boa saída para angariar recursos a curto prazo. A disposição de um banco para lhe conceder um empréstimo, no entanto, vai depender do risco que seu negócio apresenta, apresentação de garantias, entre outras exigências. Atenção com a taxa de juros, que pode ser um ponto negativo na escolha do financiamento bancário.

Programas de incentivo: é possível obter capital em programas promovidos pelo governo, como linhas de crédito do BNDES a microempresas, por exemplo. Para conquistá-las, você precisa estar atento aos requisitos e prazos.

Investidor-anjo: o chamado anjo é o investidor que dispõe de uma porcentagem do próprio patrimônio para viabilizar um negócio. O investidor-anjo tende a ser mais participativo na evolução da empresa, colaborando com ideias e tendências. Ele, portanto, não traz somente capital financeiro, mas intelectual. Isso mesmo! Não só de dinheiro são feitos os investidores! Na verdade, o capital intelectual pode trazer muito mais benefícios para a sua empresa do que um capital financeiro. 

Sério? Sim e sim!

Não basta ter dinheiro, você precisa saber como usá-lo e onde investi-lo.

Pois bem, não espere mais para tirar a sua ideia do papel. Siga os passos acima e conecte-se com o trabalhoso - mas gratificante - mundo do empreendedorismo.

Tem bastante trabalho pela frente, então, mãos à obra!


avatar MARTA APARECIDA CARVALHO
Marta Aparecida Carvalho
Sou a MARTA. Relações Públicas e Profissional do Direito por Graduação, e Estrategista de Marketing por Paixão e Especialização. No lado pessoal, possuo muita fé em DEUS e uma linda rede familiar, que proporcionam a base para os valores e evolução da inteligência emocional. Sou Sócia Administradora da Consultoria Motriz, que existe para atuar como uma força propulsora na trajetória das empresas, transformando a cultura das mesmas e seus conceitos com criatividade e planejamento, visando melhores resultados. O que me move? TRANSFORMAR pessoas e empresas, e trazer resultados!favorite_outline Seguir Perfil
capa Novos Negócios
Novos Negócios
people 5400 participantes
Um espaço aberto para trocas de experiências sobre novos negócios. Se você já tem uma ideia de negócio, ou ainda não sabe por onde começar, este é o lugar certo! Aqui, você encontra conteúdos para te ajudar a ter sucesso nesta jornada empreendedora ¿¿
fixo
Em alta
Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
16 ago. 2022Sebrae Em Dados - Mercado de Produtos Naturais no Brasil
Sebrae em Dados - Salões de Beleza
15 out. 2022Sebrae em Dados - Salões de Beleza
Para ver o conteúdo completo, bastase cadastrar, é gratis 😉
Já possui uma conta?