O Comércio Justo e Solidário permite o acesso de pequenos negócios ao mercado de forma diferenciada, por meio da valorização do produto e produção sustentável.

O que é

O projeto Comércio Justo e Solidário do Sebrae é voltado para a inclusão dos pequenos empreendimentos e à sua inclusão no mundo dos negócios, da informação e da capacitação, com direito a certificações nacionais.

Por meio da valorização da produção local e da forma de produzir sustentável, o projeto permite o acesso a mercados de forma diferenciada, com a exploração de nicho de mercado relacionado com o consumo consciente, sustentável e responsável. O uso do fair trade, como também chamado, fortalece produtos e grupos locais e trabalha com o respeito ao meio ambiente.

O trabalho abrange empresas e pequenos produtores, atuantes nos segmentos do agronegócio, do artesanato, de confecções e de turismo, participantes de projetos setoriais e locais do Sebrae. Ao participar do projeto, esses grupos passam a seguir alguns princípios que regem uma relação comercial justa e solidária: 

  • Pagamento de preço justo no ato do recebimento do produto.
  • Transparência e a corresponsabilidade na gestão.
  • Relação de longo prazo, na qual o comprador (distribuidor) oferece treinamento e outras formas de apoio aos produtores, além do acesso às informações do mercado.
  • Produtores organizados em cooperativa ou associação, por exemplo.
  • As legislações ambientais e de trabalho e as normas nacionais e internacionais devem ser respeitadas.
  • O ambiente de trabalho deve ser seguro e crianças devem estar frequentando a escola.
  • O meio ambiente deve ser respeitado.

A partir da adesão a esses princípios, toda uma cadeia de produtiva é beneficiada.

Benefícios ao produtor

  • Os produtores participantes do projeto recebem uma remuneração mais justa pelos seus produtos, o que permite uma vida digna no campo e reduz a dependência de intermediários na cadeia produtiva. 
  • Também desenvolvem relações comerciais de longo prazo.
  • A gestão democrática entre associados do grupo favorece as condições de segurança no trabalho e garantem a frequência das crianças na escola.
  • O apoio obtido junto aos compradores e entidades possibilita o acesso ao aprendizado, treinamento e a informações de mercado.
  • Também é possível obter até 50% do valor do contrato comercial com antecedência (capital de giro).

Benefícios a comerciantes

Os comerciantes que aderem ao Comércio Justo encontram um novo nicho de mercado, com consumidores qualificados e formadores de opinião, e têm um ganho na sua reputação e imagem, por agirem em coerência com as atividades de responsabilidade social.

Além disso, têm a garantia de qualidade e de fornecimento do produto e a possibilidade de estabelecer relações comerciais de longo prazo, sem contar o pioneirismo que envolve a atividade.

Benefícios ao consumidor

Ao optar por um produto de origem do Comércio Justo e Solidário, o consumidor contribui para a inclusão social e econômica de pequenos produtores, para a sustentabilidade ambiental e social, e apoia ações de responsabilidade social.